Entrevista com Marcelo Del Debbio, Vampiros, @AVEC_EDITORA

por há 3 anos e 209 leituras

Olá meus amores!!! A partir de hoje, publicaremos entrevistas concedidas pelos autores do livro Coleção Sobrenatural: Vampiros da nossa parceira Avec Editora.

O primeiro autor entrevistado foi Marcelo Del Debbio, autor do conto “Parsifal”.250px-Marcelo_del_debbio

 

Pergunta: Uma temática tão ampla como Vampiros é difícil de escrever? Quer dizer, você teve dificuldades para elaborar o seu conto por causa da temática?

R.: No meu caso específico, não tive nenhuma dificuldade, porque já fiz toda a pesquisa e escrevi um livro de RPG sobre Vampiros Mitológicos, então a temática me é bastante familiar. Vampiros podem ser personagens fascinantes, cuja própria existência, poderes e sociedade dependem dos critérios que o autor escolher para ambientar o conto. O mais importante quando se escreve sobre vampiros é lembrar sempre que a pergunta a ser feita não é “quantos anos seu vampiro tem”, mas sim “em que ano seu vampiro nasceu”. Um ser que dependa de sangue para sobreviver está sempre em um meio termo de marginalidade e precisa estar inserido no contexto local e histórico de por onde passou. Sua mentalidade é antiga e a maneira como o mundo evolui às vezes pode ultrapassar muito a velocidade com que um ser milenar acompanharia a tecnologia. Tudo isso precisa ser levado em consideração pelo autor.

Pergunta: Falando em vampiros, qual é o seu vampiro(a), personagem da literatura, preferido?

R.: O Lestat, mas o do filme, interpretado pelo Tom Cruise.

Pergunta: Com a mudança dos tempos não há mais uma formula mostro/herói, você acha que isso foi uma melhoria?

R.: O mundo real nunca foi algo preto-e-branco. Ainda mais em se tratando de personagens que bebem sangue.

Pergunta: Escolha um dos personagens de seu conto e fale sobre ele.

R.: Nathanael Van Hooves é o vampiro mais antigo do Brasil, ou melhor, era o título pela qual era conhecido ou, pelo menos, era o título que os vampiros mais antigos o conheciam. Para qualquer Strigoi com menos de trezentos anos, Nathanael era pouca coisa mais do que uma lenda.

Pergunta: Falando um pouco de você, qual é o seu tipo de literatura? O que você lê por prazer?

R.: Meu tipo de literatura atualmente são livros sobre Mitologia, Hermetismo e Maçonaria. Tenho lido bastante, mas poucos romances.

Pergunta:  Esses livros e autores que você gosta influenciam na hora que você escreve?

R.: Bastante. Gosto de usar o background histórico e, principalmente, hermético em meus livros e textos. Desta forma, quanto mais informação e dados concretos sobre como determinado fato de interesse ocorreu, mais eu consigo aprofundar na narrativa.

Pergunta: Você tem algum vicio de escrita? Algo que não possa faltar na hora de escrever, ou algum clichê que goste de usar?

R.: Muito do meu estilo de narrar histórias consiste em aplicar cenários sobrenaturais ou ocultistas baseados em lendas, conspirações ou mitologias tradicionais, procurando ser o mais detalhista e realista possível em relação aos deuses, demônios, heróis e monstros mitológicos.

Pergunta: Como foi a experiência de participar da Coleção Sobrenatural: Vampiros?

R.: Gostei bastante. O conto “Persival” estava martelando na minha cabeça há anos sem ter um canal para nascer, muito por causa dessa moda de vampiros brilhantes que praticamente estragou qualquer ideia a respeito de vampiros sombrios. O convite do Arthur Vecchi foi providencial e, desde o primeiro momento do projeto, já estava apaixonado pela ideia de retornar aos personagens do jogo de RPG. Os leitores antigos do TREVAS reconhecerão alguns dos personagens do jogo ali.

Pergunta: Conte para os nossos leitores, sobre suas obras já publicadas, e projetos para o futuro.

R.: Sou mais conhecido pelos títulos de RPG como Arkanun, Trevas, vampiros Mitológicos, Anjos: A Cidade de Prata; Demônios: a Divina Comédia e muitos outros, mas tenho uma enciclopédia de Mitologia com mais de 7200 verbetes publicada. Este trabalho acadêmico, aliás, foi a base pela qual eu me apaixonei por mitologia e utilizei de cenário para todos os meus livros de RPG e romances.
Recentemente, publiquei um jogo chamado “Pequenas Igrejas, Grandes Negócios” no qual os jogadores vivenciam pastores picaretas cujo objetivo é enriquecer, explorar o povo vendendo cacarecos inúteis, comprar rádios, TVs e jornais e atacar a reputação dos outros Pastores. Ganha quem sobreviver até o Juízo Final. Uma obra de ficção, claro!

Foi uma ótima entrevista, e uma oportunidade de conhecer um pouquinho mais sobre o autor Marcelo Del Debbio. O que você achou? Quer conhecer um pouco mais do autor e obra? Você pode visitar a página da nossa parceira Avec Editora AQUI. Você pode conferir a resenha do livro Coleção Sobrenatural: Vampiros AQUI.

Beijinhos da Paty ;)

 

Paty

Pode me chamar de Paty, sou uma libriana sentimental e cabeça dura que gosta de escrever, Gosto de vampiros e anjos e tudo aquilo que me tira da realidade, livreira por vocação. Insegura e corajosa, nervosa e determinada, são as contradições que fazem de mim quem eu sou.

Facebook Instagram Twitter Google+

Trackbacks/Pingbacks

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2017 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales