Resenha O Prisioneiro do Céu, Editora Suma

por há 1 mês e 87 leituras

Barcelona, 1957. Daniel Sempere e seu amigo Fermín, os heróis de A Sombra do Vento, estão de volta à aventura para enfrentar o maior desafio de suas vidas. Já se passa um ano do casamento de Daniel e Bea. Eles agora têm um filho, Julián, e vivem com o pai de Daniel em um apartamento em cima da livraria Sempere e Filhos. Fermín ainda trabalha com eles e está ocupado com os preparativos para seu casamento com Bernarda no ano-novo. No entanto, algo parece incomodá-lo profundamente.
Quando tudo começava a dar certo para eles, um personagem inquietante visita a livraria de Sempere em uma manhã em que Daniel está sozinho na loja. O homem misterioso entra e mostra interesse por um dos itens mais valiosos dos Sempere, uma edição ilustrada de O conde de Montecristo que é mantida trancada sob uma cúpula de vidro. O livro é caríssimo, e o homem parece não ter grande interesse por literatura; mesmo assim, demonstra querer comprá-lo a qualquer custo.
O mistério se torna ainda maior depois que o homem sai da loja, deixando no livro a seguinte dedicatória: ‘Para Fermín Romero de Torres, que retornou de entre os mortos e tem a chave do futuro’. Esta visita é apenas o ponto de partida de uma história de aprisionamento, traição e do retorno de um adversário mortal. Daniel e Fermín terão que compreender o que ocorre diante da ameaça da revelação de um terrível segredo que permanecia enterrado há duas décadas no fundo da memória da cidade.
Ao descobrir a verdade, Daniel compreenderá que o destino o arrasta na direção de um confronto inevitável com a maior das sombras: aquela que cresce dentro dele. Transbordando de intriga e emoção, ‘O Prisioneiro do Céu’ é um romance em que as narrativas de A sombra do vento e O jogo do anjo convergem e levam o leitor à resolução do enigma que se esconde no coração do Cemitério dos Livros Esquecidos. A Sombra do Vento superou a marca dos 13 milhões de exemplares vendidos.

“-Quem sabe se eu fosse decorar a vitrine só de cueca, alguma mulher ávida de literatura e de emoções fortes não entrava para comprar? Dizem os entendidos que o futuro da literatura está nas mãos das mulheres (…)”

O Prisioneiro do Céu é literalmente o começo da série Cemitério dos Livros Esquecidos, antes temos A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo, que podem ser lidos separadamente e não influem em nada, também podem ser lidos fora da ordem, a unica coisa que se perceberá é a família Sempere migrando as histórias. Prisioneiro vem para unificar a história, e com aquele jeitinho maluco do Zafón nos tragar para dentro das paginas.

Como não amar uma história, na qual o personagem principal é o secundário mais querido do A Sombra, Fermín  Romero de Torres.

“-Quer saber de uma coisa, Daniel? Às vezes acho que Darwin se equivocou e que, na verdade, o homem descende dos cães, porque oito entre dez hominídeos já fizeram alguma cachorrada que ainda não foi descoberta – argumentava. – Prefiro quando você expressa uma visão mais humanista e positiva das coisas, Fermín. Como no outro dia, quando disse que no fundo ninguém é mau, apenas tem medo. – Deve ter sido uma queda do açúcar no sangue. Uma completa bobagem.”

O livro começa com um rapaz comprando, na livraria Sempere e Filho, a cópia mais cara de O conde de Monte Cristo. Seria normal, se ele não pegasse o livro, fizesse uma anotação e pedisse que entregassem a Fermín. Bom, o passado as vezes bate a porta, e nesse caso ele veio numa edição carissima,rs.

“Para Fermín Romero de Torres, que retornou
De entre os mortos e tem a chave do futuro.”

Depois de ler a nota do “rapaz misterioso”, Daniel pressiona que o amigo conte o que aconteceu em seu passado.

Eis que descobrimos que ele foi como Edmond Dantès O Conde de Monte Cristo, um prisioneiro no castelo de montjuic, porém há mais… muito mais, Fermín é a peça que une todos os personagens que vimos nos livros anteriores.

Na verdade se você não leu ainda essa série, comece… Se já leu e ta com preguiça de continuar, chegue a esse livro.

Há uma mudança , na verdade é dificil explicar o que é O Prisioneiro do Céu, Zafón costura todas as histórias , é como se nada você por acaso, os sumiços, perseguições e tudo que acontece no futuro, se dá por conta dos passos tragados nessa história, CADA VEZ FICA MAIS DIFICIL RESENHAR SEM DAR SPOILERS,rs

Daniel também muda muito, o passado acaba por transformar em alguém vingativo, que acabará com muita coisa que construiu.

É as paginas finais é um baita chamado para o quarto livro, só isso que posso dizer, pretendo depois de concluir a série fazer um post único cheio de spoilers, sim amo contar tudo.

Ficha Técnica:
Autora: Carlos Ruiz Zafón
Páginas:272       Ano: 2017
Skoob: O Prisioneiro do Céu ( O Cemitério dos Livros Esquecidos III)
Onde comprar:  Amazon// Saraiva

rebookrebookrebookrebookrebook

JuTorres

Estudante de Psicologia, paulista. Fascinada por série, filmes, livros e um bom rock…Colaboradora Oficial desde setembro/ 12. No Twitter pessoal @jupsique

Facebook Instagram Twitter
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2017 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales