Resenha III Interferências, Editora Suma.

por há 5 meses e 155 leituras

Sinopse: “Combinando humor e romance, Connie Willis, ícone da ficção científica, entrega um livro envolvente sobre os perigos da tecnologia, do excesso nas redes sociais e… do amor. Em um futuro não muito distante, um simples procedimento cirúrgico é capaz de aumentar a empatia entre os casais, e ele está cada vez mais na moda. Por isso, Briddey Flannigan fica contente quando seu namorado, Trent, sugere que eles façam a cirurgia antes de se casarem — a ideia é que eles desfrutem de uma conexão emocional ainda maior, e que o relacionamento fique ainda mais completo. Bem, essa é a ideia. Mas as coisas acabam não acontecendo como o planejado: Briddey acaba se conectando com outra pessoa, totalmente inesperada. Conforme a situação vai saindo do controle, Briddey percebe que nem sempre muita informação é o melhor, e que o amor — e a comunicação — são bem mais complicados do que ela esperava. Mais complicado do que ela esperava.
“Um dos livros de ficção científica mais divertidos dos últimos anos.” — Locus “Um conto de fadas tecnológico extremamente divertido.” — BookPage”.

Sabe aquele livro que já conquista pela capa, fiquei apaixonada assim que vi e a sinopse me deixou ainda mais intrigada, posso garantir que a trama é muito divertida, com pitadas de romance e muita confusão, uma história simplesmente apaixonante que merecia uma continuação.

Nossa protagonista e a dedicada Briddey Flannigan, ela passa a maior parte do seu tempo no trabalho, faz o que pode para evitar suas irmãs e tia Oona que é a matriarca dessa família de origens irlandesas, elas todas são contra seu relacionamento com Trent, principalmente sua tia que acredita que uma mulher irlandesa só pode ser feliz com um bom rapaz irlandês.

Mas Briddey acredita que a solução para que a sua família pare de se intrometer na sua vida, seja um noivado e possível casamento com o seu namorado, mas para isso ela primeiro precisa aceitar fazer um novo procedimento de empatia emocional entre casais muito famoso o EED.

Com a proposta feita por Trend e sua aceitação, o pior ainda estava por vir, como comunicar a sua família e não deixar que elas descubram através das redes sociais e dos fofoqueiros de plantão, realmente não seria nada fácil, porém apesar de todas suas tentativas sua sobrinha Maeve descobriu e postou no Facebook.

Todos tentaram convencê-la de que era um erro, mais principalmente sua tia Oona e seu colega de trabalho C.B. que tentou alerta-la das possíveis complicações de uma cirurgia realizada no cérebro, mas Briddey já havia decidido e foi em frente com o procedimento, assim que saiu da cirurgia ela pensou ter sentido e ouvido algo.

“O som deve ter vindo do corredor, então, mas ela sabia que não era o caso. Viera dali, e de muito perto. Deve ter sido Trent. Você está aí?, chamou ela, e esperou, aflita.
Sim, ouviu.
Mas não posso ter ouvido, pensou ela. O EED não torna a pessoa capaz de ouvir os pensamentos do parceiro. Só faz com que perceba melhor os sentimentos dele”. _Pág. 055.

Infelizmente o que deveria ser uma alegria se tornou um problema gigantesco, pois Briddey percebe que está ouvindo pensamentos de outro homem e como contar isso a Trent ou a seu médico que realizou o EED, porém a voz que ela ouve se torna seu único meio de enfrentar o que ainda está por vir.

Descobrir que a telepatia existe é um choque para Briddey, no começo ela não consegue acreditar e acredita que seja tudo culpa do homem que se conectou a ela no lugar de Trent e que ele de alguma forma está bloqueando a conexão dos dois, que ele deve estar causando uma interferência.

Mas Briddey descobre que isso é apenas o começo e ouvir apenas essa voz é o menor dos seus problemas, ela começa a ouvir outras vozes e apesar de ter sido avisada que em lugares públicos a quantidade de vozes poderia ser pior, ela não deu ouvidos e foi atacada por todas ao mesmo tempo.

Em seu pior momento ela descobre que aquele que ela tanto acusou é o único que pode ajudar e salva-la e ensina-la como se proteger, só então ela consegue enxergar e lidar com tudo que está acontecendo com ela e muitas outras descobertas são reveladas, como descobrir que a Telepatia é um gene irlandês.

Um livro divertido e repletos de cenas doces e hilárias, onde a amizade e o amor andam de mãos dadas e o vício desenfreado por todo tipo de tecnologia só nos afasta de tudo que realmente importa em nossa vida, é realmente o retrato de um futuro próximo, por tudo isso o livro merece quatro Corujas!

Ficha Técnica:
Skoob: Interferências
Autor: Connie Willis
Editora: Suma
Páginas: 464
Ano: 2018
Onde Comprar: Americanas, Submarino, Amazon, Saraiva.

Um livro de ficção científica com uma pegada de humor e comédia, onde a descoberta do amor e das ligações amorosas estão além dos avanços da tecnologia, uma leitura leve e divertida, vale a pena conhecer a família irlandesa Briddey Flannigan ;) Espero que se apaixonem por esses personagens cativantes. Se já leram, adoraria saber a opinião de vocês! Até a Próxima.

Erlane

Oi pessoal sou a Erlane, mas podem de chamar de Er, um apelido muito carinhoso que ganhei aqui no portal. Sou pernambucana, formada em Ciências Biologias e atualmente fazendo minha pós-graduação em Gestão Ambiental, casada e muito apaixonada, minhas outras paixões são a natureza, os animais “em especial meu gatinho (filho) que amo Floquinho”, exportes radicais e toda a vida em si. Porem minha grande paixão são livros, filmes e algumas séries. Sou simplesmente uma romântica incurável ! ;)

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales