Resenha II Tartarugas até lá em baixo, Editora Intrínseca

por há 3 semanas e 88 leituras

Sinopse: A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância -, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

 

Hey pessoas! Depois de tanto ver posts em todo o lugar sobre o novo livro do John Green, Tartarugas até lá em Baixo, eu finalmente consegui chegar nele e também ter minha opinião. Tartarugas até lá em baixo é uma cortesia da Editora Intrínseca aqui para o Portal, continue lendo e saiba o que eu achei dessa leitura.

Devo confessar que foi meu primeiro livro do John Green. Eu não faço o estilo A Culpa é das Estrelas, não li o livro e nem vi o filme. Sei que ambos têm um imenso valor, mas eu preferi não ler (vai entender porquê né, já que eu li e assisti Como eu era antes de você, tão aclamado e gostei bastante), mas enfim, o negócio é que esse eu li e não me arrependi.

Acho que deu para fazer uma pequena ideia do que é estar na cabeça de uma pessoa com um transtorno de ansiedade com pensamentos intrusivos o tempo todo.

Esse é o caso de Aza. Não ficou bem claro se desde sempre ou desde que perdeu o pai, ela sofre com a ansiedade e tem pensamentos que surgem aleatoriamente e a fazem pensar que ela de alguma forma pode ter se contaminado com a bactéria mortal c. diff.

Apesar das ansiedades, Aza se junta à melhor amiga Daisy a fim de encontrar um milionário foragido da polícia para ganharem a recompensa, uma vez que Aza conhece o filho mais velho do milionário desde a infância, Davis.

Juntas elas começam a busca por pistas que levem ao paradeiro do pai de Davis, mas tudo o que conseguem é se aproximar dos filhos, Davis e Noah, que agora estão sozinhos enquanto o pai sequer lhes manda uma mensagem.

Essa busca não é fácil e ela começa a se importar de fato com os meninos, principalmente Davis, que tem toda a responsabilidade enquanto o pai não aparece e torce muito para que o ressurgimento de Aza em sua vida não seja por interesse.

Porém Aza tem algo mais sério para lidar. Precisa controlar sua cabeça, controlar os pensamentos que a impedem de ter uma vida normal. Imagina viver com pensamentos constantes de que você vai pegar uma doença fatal, que tudo o que você faz, até uma pessoa que respira perto de você tem possibilidade de passar bactérias, que as bactérias dela pode lhe fazer mal, constantemente olhando e renovando uma ferida no dedo só para saber se não infeccionou?

Essa personagem lida com isso e, como o livro é escrito em primeira pessoa, somos capazes de presenciar cada pensamento, cada tentativa de detê-lo e cada falha. Para mim o ponto alto aqui não é a investigação, que de fato fica em segundo plano, mas a luta de Aza com seus transtornos.

Tartarugas até lá em baixo é um título que lembra algo contínuo, repetitivo e que parece nunca ter fim. Essa é a espiral de pensamentos de Aza, que sempre dão origem a um novo e a fazem duvidar de sua sanidade.

Estreei minha leitura de John Green com o pé direito. Esse livro tem uma qualidade incrível, uma sensibilidade notória ao lidar com os transtornos de Aza porque ele não exagera, ele coloca de maneira sutil de início e vai aumentando aos poucos para que o leitor perceba qual é de fato o problema que essa história trata. Leveza da vida adolescente, jovens com atitudes que combinam com a idade que têm, verdadeiras amizades de quem aprende a lidar com os problemas dos outros.

Deu para ver que eu gostei bastante né? Esse livro me explicou o porquê de tanto alarde com esse autor. Ele sabe o que faz. Por isso eu recomendo muito a leitura de Tartarugas até lá em baixo, de John Green.

Essa foi a MINHA opinião, conta a SUA pra mim? Curta, comente e compartilhe. Te vejo depois do próximo “fim”.

Minha nota para ele é de QUATRO smileys!

 

Ficha Técnica:
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 256
Skoob: Tartarugas até lá em Baixo
Onde Comprar: Amazon, Americanas, Livraria Cultura

 

 

 

Amanda

Hey pessoas! Sou Advogada, tenho 23 anos, Sul-mato-grossense, Nerd assumida, amante de livros, música clássica e rock; mais falante que o burrinho do Shrek e incapaz de deixar uma sala em silêncio por mais de 1 min – pelo menos dizem que sou engraçada, vai saber. Não sou hiperativa, mas tô quase lá! Ah e por fim, uma romântica incorrigível – não aceito final triste em livros, NEVER – #Feliz :D

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2017 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales