Resenha de Manual da Faxineira, @cialetras

por há 3 semanas e 124 leituras

Lucia Berlin teve uma vida repleta de eventos e reviravoltas. Aos 32 anos, já havia vivido em diversas cidades e países, passado por três casamentos e trabalhado como professora, telefonista, faxineira e enfermeira para sustentar os quatro filhos. Lutou contra o alcoolismo por anos antes de superar o vício e tornou-se uma aclamada professora universitária em seus últimos anos de vida. Desse vasto repertório pessoal, Berlin tira inspiração para escrever os contos que a consagraram como uma mestre do gênero. Com a bravura de Raymond Carver, o humor de Grace Paley e uma mistura de inteligência e melancolia, Berlin retrata milagres da vida cotidiana, desvendando momentos de graça em lavanderias, clínicas de desintoxicação e residências de classe alta da Bay Area.

O que me despertou a atenção para esse livro foi a capa. Acreditei que fosse do gênero chick-lit, pelos detalhes coloridos, mas não tem nada a ver: Manual da Faxineira é um retrato da realidade.

Lucia já foi professora, faxineira e enfermeira, e de suas vivências nessas profissões ela fez vários contos. Alguns foram escolhidos para formar esse livro. Muitas histórias se passam contando dramas familiares, especialmente problemas de relacionamento, desentendimentos que fazem parte de todos os círculos. Com certeza há muitas Lucias entre nós.

As faxineiras mais antigas nem sempre me aceitam com muita facilidade. E é difícil arranjar serviços de faxina também, porque eu sou “instruída”. Só que eu não tenho conseguido de jeito nenhum arranjar outro tipo de trabalho. 

O alcoolismo também é um assunto recorrente nos contos de Lucia, já que a autora vivenciou esse drama em sua vida. Ela foi alcoólatra, então é bastante entendedora do tema. Seu primeiro conto, que se passa em uma lavanderia, já detalha um senhor bêbado, mas o que mais me chamou a atenção foi um com o título Incontrolável.

Nele, a mulher passa muito tempo procurando moedas em todos os lugares onde elas possam ser encontradas, já que o filho ficou com sua carteira e as chaves do carro. Lucia relata a dificuldade desse momento, o desespero, os tremores que a personagem sente na abstinência. Em seguida, o alívio que sente ao dar goles na bebida comprada às escondidas, no meio da madrugada, por um preço exorbitante cobrado aos viciados. Mas também há contos relacionados a clínicas de desintoxicação.

Na noite escura e funda da alma, as lojas de bebida e os bares estão fechados. Ela enfiou a mão debaixo do colchão; a garrafa de vodca estava vazia. Sentou na cama, depois levantou. Estava tremendo tanto que teve que sentar no chão. Estava hiperventilando. Se não tomasse alguma coisa, ela entraria em delirium tremens ou teria um ataque.

Mas também há episódios alegres, exatamente como é a nossa realidade: um dia é da caça, o outro é do caçador. Lucia relata o amor que sente pela prima moderna demais, suas aventuras, seus amores, a relação bastante próxima que possui com o avô e com as freiras da escola onde estudou. Mas na escola onde trabalhou ela também teve muitos problemas de rebeldia de alunos, como no conto El Tim.

Como eu citei antes, Manual da Faxineira é como a nossa vida. Nem tudo são flores, há episódios alegres, problemas que serão resolvidos adiante, e assim vai. Se você está procurando um livro para se encaixar e se reconhecer em algumas situações, esse é indicado para você.

Avaliei esse livro com quatro corações, ao invés de cinco, porque estava à procura de algo mais alegre, já que gosto dos livros para fugir da realidade. Como eu disse, me equivoquei com a capa, acreditando ser um livro bem-humorado, do estilo chick-lit, mas a graça está embutida sutilmente nos contos. Basta que você a encontre. A vida é assim, não é mesmo?

Mas não vá por mim, gosto é pessoal e esse livro possui excelente avaliação no Skoob. Inclusive ele foi eleito um dos dez melhores do ano, pelo New York Times. Leia e tire as suas conclusões!

Ficha técnica:

Autor: Lucia Berlin 

Editora: Companhia das Letras

Ano: 2017

Páginas: 536

Skoob: Manual da Faxineira

Onde comprar: site da editora

Voltarei, aguarde!

Nanda

(até 2017) De manhã: funcionária pública (secretária escolar). De tarde: leitora beta, redatora, corretora e revisora de textos. Em tempo integral: sou casada, tenho um filhote muito fofo de Yorkshire chamado Paçoca, sou viciada em livros e apaixonada por séries de TV, especialmente de culinária, Friends e The Big Bang Theory. Iniciei no portal em junho de 2013, na área de filmes, e um ano depois comecei a resenhar livros.

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2017 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales