Resenha de Aos Dezessete Anos, Editora Seguinte

por há 5 meses e 134 leituras

Sinopse: Em seu novo romance arrebatador, a autora de Cartas de amor aos mortos apresenta uma mãe e uma filha que precisam compreender o passado para poder seguir em frente. Quando tinha dezessete anos, Marilyn viveu um amor intenso, mas acabou seguindo seu próprio caminho e criando uma filha sozinha. Angie, por sua vez, é mestiça e sempre quis saber mais sobre a família do pai e sua ascendência negra, mas tudo o que sua mãe contou foi que ele morreu num acidente de carro antes de ela nascer. Quando Angie descobre indícios de que seu pai pode estar vivo, ela viaja para Los Angeles atrás de seu paradeiro, acompanhada de seu ex-namorado, Sam. Em sua busca, Angie vai descobrir mais sobre sua mãe, sobre o que aconteceu com seu pai e, principalmente, sobre si mesma.

Hey pessoas! Hoje eu vim pra falar desse livro que tem uma história linda e que me emocionei lendo na fila de exame! Aguenta aí que vou contar mais sobre Aos Dezessete Anos, de Ava Dellaira, que é uma cortesia da Editora Seguinte para o Portal Ju Lund.

Nesse livro acompanhamos a história de mãe e filha separadamente. Em alguns momentos acompanhamos a vida de Marilyn aos 17 anos e, 18 depois, a vida de Angie, também aos 17 anos. Angie tem uma vida muito diferente da que a mãe teve, mas não faz ideia de sua história, da história de seu pai e a deixa confusa em relação à sua vida, porque não sabe metade de sua história e, principalmente, por que a mãe é tão triste.

Marilyn chegou com a mãe em Hollywood para tentar mais de perto a carreira de modelo e fazer com que a mãe fica rica. Marilyn nunca quis isso, mas dá os passos para isso para agradar a mãe. Elas vão viver de favor na casa do tio, que é um homem desprezível, mas as recebe ainda sim. No apartamento de baixo mora James, um garoto simpático e cheio de sonhos e traz o alívio que Marilyn precisa.

Enquanto isso, Angie encontra uma possível foto de seu pai e descobre alguns fatos que podem indicar que sua mãe talvez mentira sobre sua morte e que lhe dá esperança de responder todas as perguntas que guardou toda a vida e a ajude a entender a si mesma e porque terminou o relacionamento com Sam mesmo gostando dele.

É assim que começamos acompanhar a viagem de Angie em busca da Família enquanto se desenrolam os fatos que levaram a Marilyn criando Angie sozinha.

Vemos o amor de Marilyn pelo vizinho começar, se encher de esperanças de um futuro que sabemos que não vai acontecer e surge a pergunta: O que aconteceu com eles? Será que ele tá vivo ou morreu mesmo como a mãe disse para Angie?

Dá pra dizer que eu criei as mesmas esperanças que Angie para encontrar logo o pai dela e perguntar o que aconteceu!

É mais profundo do que eu esperava para esse livro, as histórias vão se desenrolando e podemos ver quão fortes são mãe e filha e quão forte foi Marilyn ao criar a filha meio a tudo que passou tão jovem. Enfrentar circunstâncias imprevistas não é fácil, mas extrair alegria disso é possível, como percebemos ao vislumbrar as lembranças felizes da infância de Angie.

Enfim, vou deixar vocês lerem e descobrir doo que eu estou falando. Só digo que a leitura vai valer a pena!

Minha nota para ele é de Quatro Smileys!

 

 

 

Ficha Técnica:
Organizador: Ava Dellaira
Editora: Seguinte
Ano: 2018
Páginas: 448
Skoob: Aos Dezessete Anos
Onde Comprar: Saraiva, Travessa, Americanas

 

Amanda

Hey pessoas! Sou Advogada, tenho 23 anos, Sul-mato-grossense, Nerd assumida, amante de livros, música clássica e rock; mais falante que o burrinho do Shrek e incapaz de deixar uma sala em silêncio por mais de 1 min - pelo menos dizem que sou engraçada, vai saber. Não sou hiperativa, mas tô quase lá! Ah e por fim, uma romântica incorrigível - não aceito final triste em livros, NEVER - #Feliz :D

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales