Resenha de A Arte de correr na Chuva, de Garth Stein.

por há 6 anos e 1224 leituras

Veja a resenha, a capa e a sinopse do famoso livro A Arte de correr na Chuva de Garth Stein.

Sinopse:

“A história de uma família contada sob a visão do dócil e sábio Enzo, um cachorro com alma humana. Enzo foi criado assistindo a programas no canal “National Geographic” e aprendeu que todo cachorro que morre, se estiver preparado, reencarna como ser humano. Em um flashback de sua vida, Enzo relembra momentos de ternura, amor, injustiça e traição que presenciou na vida de seu dono Denny. Ele aprendeu a administrar a vida como numa corrida de carros, onde nem sempre a velocidade é a melhor estratégia. E agora tudo o que deseja é colocar este aprendizado em prática!”

Resenha do livro:

Resenha de Cris Gomes:

A Arte de Correr na Chuva é um romance de 2008, escrito pelo autor e produtor de cinema norte americano Garth Stein. O livro tornou-se um bestseller do New York Times e manteve-se na lista de mais vendidos durante 40 semanas. A Universal Pictires adquiriu os direitos do livro em Julho de 2009 para a criação de um filme sobre o mesmo, que seria interpretado por Patrick Dempsey, mas o projeto não conseguiu um diretor. O que foi uma pena, pois na minha opnião daria um ótimo filme,  no melhor estilo “Marley e Eu”.
Eu li esse livro há quase um ano, me apaixonei e queria muito indicar. Resolvi ler de novo para fazer um comentário decente, mas não consegui. Comecei a chorar logo na primeira página (de novo!), acabei desistindo e resolvi fazer pelo que me lembro mesmo. Ainda assim espero que vocês gostem.

Apesar de parecer estranho ter a estória contada pelo ponto de vista de um cachorro, o livro é lindo. Quem adora esse bichinho, vai se emocionar. E se você for como eu, que entra realmente no livro, não tem como não se envolver (sim, eu rio e choro sozinha lendo!!)
O livro começa nos dias que antecedem a morte de Enzo.  E dá uma pena sem tamanho quando ele começa a descrever a situação em que ele se encontra: velhinho e quase sem controle do próprio corpo. Eu já me imaginei no lugar dele e desabei no choro!

Enzo foi criado assistindo programas de tv enquanto Denny sai para trabalhar. Em um desses documentários ele aprende que na Mongólia acredita-se que os cachorros podem voltar na próxima vida como humanos, se estiverem preparados.  E ele passa a vida aprendendo com Denny, se preparando e desejando voltar como humano.

Ele vai contando como foi sua vida, desde o dia que Denny o pega em uma fazenda e vai passando pelos acontecimentos importantes de suas vidas: quando Denny conhece Eve; o nascimento da filha deles, a Zoe; as dificuldades que Denny enfrenta na tentativa de ser um grande piloto de corrida; uma tragédia que cai sobre suas vidas. E ele vai descrevendo momentos de alegria, tristeza, revolta e como ele apoia Denny em todos esses momentos.
O Enzo é um cachorro, mas dá pra esquecer isso e achar que ele é humano, pois a gente se identifica com seus pontos de vista. E sua amizade e fidelidade a Denny e Zoe.

Uma estória sobre amizade e fé que vale a pena ler!

Abaixo um trechinho do começo do livro:

“Os gestos são tudo que eu tenho; às vezes precisam ser de natureza ampla. E, apesar de passarem dos limites em algumas ocasiões e parecerem melodramáticos, são o que tenho para me comunicar claramente. Para me fazer entender sem que reste nenhuma dúvida. Não posso contar com as palavras, pois, horror dos horrores, minha língua é comprida, lisa e descoordenada, sendo, portanto, um instrumento absolutamente ineficiente para empurrar a comida dentro da minha boca enquanto mastigo, e ainda menos eficiente para produzir sons inteligentes e polissilábicos complexos que possam se unir para formar sentenças. E é por isso que estou aqui agora, esperando Denny chegar em casa — ele deverá chegar logo —, deitado nos ladrilhos do piso frio da cozinha em uma poça de minha própria urina.

Estou velho. E, embora esteja em condições de ficar ainda mais velho, não é assim que desejo ir embora. À base de injeções com remédios para a dor e esteróides para diminuir o inchaço das juntas. A visão nublada pela catarata. Tenho certeza de que Denny me daria um daqueles carrinhos que já vi na rua, aqueles que apóiam os quadris de modo que o cachorro consiga arrastar o traseiro quando as coisas começam a ficar realmente preocupantes. É uma situação constrangedora e degradante. Não sei se é pior do que vestir um cachorro com roupas de Halloween, mas está perto. Ele faria isso por amor, é claro. Tenho certeza de que faria qualquer coisa para me manter vivo pelo máximo tempo possível, com meu corpo se deteriorando, se desintegrando, se dissolvendo até que não restasse mais nada além do meu cérebro flutuando em um vidro cheio de líquido transparente, os globos oculares boiando na superfície e todos os tipos de cabos e tubos alimentando o que restasse. No entanto, eu não quero que me mantenham vivo. Porque sei o que vem depois. Eu vi na televisão. Um documentário sobre a Mongólia. Foi a melhor coisa que já vi na televisão, tirando o Grande Prêmio da Europa de 1993, é claro, a maior corrida de todos os tempos, em que Ayrton Senna mostrou que era um gênio na chuva. Depois do Grande Prêmio de 1993, o melhor programa a que assisti na televisão foi um documentário que explicava tudo, esclarecia pormenores, dizia toda a verdade: quando um cachorro termina a vida como cachorro, sua próxima encarnação será como homem.

Sempre me senti quase humano. Sempre soube que havia algo em relação a mim que era diferente dos outros cachorros. Certo, estou preso no corpo de um cachorro, mas trata-se apenas da carcaça. O que está dentro é que é importante. A alma. E a minha alma é muito humana.”

CrisGomes

Casada; paraibana; viciada em doces; tímida; louca por livros. Já vivi mil vidas através dos livros... ;)

Facebook Instagram Twitter Google+

6 comentários para “Resenha de A Arte de correr na Chuva, de Garth Stein.”

Louise

Já li esse livro, e achei incrivelmente lindo! Me apaixonei perdidamente pelo Enzo… rsrsrs
Achei muito interessante quando ele compara a vida com uma corrida de fórmula 1… fazem todo sentido as comparações dele.
Recomendado mil vezes. ^^

Cris Gomes

Oi,Louise!
O livro é mesmo lindo. Ainda bem que não fui a única que se apaixonou pelo Enzo e suas comparações da vida com a Fórmula 1!!
Bjos

Shara

Nunca ouvi falar mas se é no estilo Marley e Eu vou amar…
Carinho

    CrisGomes

    Oi, Shara! Também nunca tinha ouvido falar, mas é no estilo Marley e Eu e Sempre a Seu Lado (Filme com Richard Gere, que é simplesmente maravilhoso).
    Se tiver a oportunidade, leia! É uma linda história de companheirismo!
    Xero!!!

Livia Prates

Oi Cris! Adorei sua resenha, vou confessar q nao gosto muito d livros d cachorro mas depois da sua resenha vou ler todos! rsrsrs

    CrisGomes

    Então, Lívia, foi meu primeiro livro de cachorro, e amei de paixão. Sério! È um lindo livro que mostra e até nos ensina sobre a verdadeira amizade e companheirismo !
    Se puder, leia e me diz o que achou.
    Xero!!!

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales