Resenha Assassinato no Expresso do Oriente, Editora Harpercollins

por há 1 mês e 81 leituras

Sinopse: Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano. O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.

 

 

Hey pessoas! Sabe aquela lista de livros que você sabe que é bom, mas fica adiando a leitura? Pois então, Assassinato no expresso do Oriente estava entre eles, até que eu vi que, tendo sido lançado o filme, eu não ia querer receber spoilers, ou talvez manchar a ideia de um personagem com a interpretação diferente de alguém, por isso, eu corri fazer a leitura de Assassinato no Expresso do Oriente, de Ágatha Christie.

Tem um tempinho que li O Homem do Terno Marrom, dessa mesma autora e amei, achei muito inteligente, então descobri que ele nem era considerado o melhor de seus livros, o que me fez imaginar que os mais famosos seriam incríveis. Minha concepção não estava nem de longe errada.

O Expresso do Oriente é um trem que faz uma linha entre países do oriente e a Europa. Nessa ocasião, viajam um renomado investigador Hércule Poirot, e 13 outros passageiros em um vagão da primeira classe. Em uma noite de muito frio, onde alguns passageiros estão um pouco agitados o trem fica preso no meio do nada devido a uma nevasca ocorrida durante a noite. Por volta do horário de almoço, descobre-se que um passageiro, Ratchett, foi encontrado morto em sua cabine, a qual estava trancada por dentro. Por causa da nevasca, ninguém poderia ter deixado o trem, portanto, era necessário encontrar entre os passageiros e tripulantes o autor do crime.

O gerente da locomotiva estava na viagem, por isso contrata Poirot para que investigue e, ao final da viagem, apresente às autoridades o crime e o criminoso descoberto. Não tendo muito o que fazer enquanto espera a neve baixar para poder sair, ele topa a empreitada.

Com a ajuda de um médico que estava a bordo e do gerente, os três começam às investigações e interrogatório de todos que estavam no trem e a cada pessoa ouvida o caso parece complicar-se mais: todos tinham álibe, nenhum deles tinha relação com o morto, sequer o conheciam e eram pessoas muito honestas.

É ai que começa a investigação a fundo de Poirot, ele usa a psicologia para encontrar o culpado e entender a maneira como agia.

Isso é algo interessante vindo da autora, como eu disse na resenha de Mindhunter, a polícia só começou a usar a psicologia para desvendar os crimes nos anos 80, ou seja, muito depois da escrita deste livro, mesmo assim a autora já mostrava a importância de que os investigadores conheçam bem a mente de criminosos.

Pois bem, é nessa rede de dúvidas que o leitor também começa a avaliar a mente dos passageiros, as respostas e os fatos até então constatados e eu certamente, não pesquei nenhuma dica do final, porque ele me surpreendeu demais: tanto a solução dos fatos quanto a solução do que se passa depois.

Como o outro livro da autora que li, é de uma inteligência brilhante a maneira que ela vai colocando as pistas no decorrer do livro de maneira sutil e como o investigador as usa para identificar mentiras e verdades, mesmo quando um inocente possa começar a se incriminar sozinho por medo de ser apontado como culpado.

A arte de escrever é de fato maravilhosa. Tanto tempo passou desde que este livro fora escrito, mesmo assim prende e encanta muito mais do que muitos livros modernos com essa temática, Agatha sabia muito bem o que fazia! Com certeza te indico a leitura. De preferência antes de ver o filme , mas se você viu o filme, leia o livro também! Com certeza tem mais detalhes e alguns pontos diferentes, que para o filme ficou melhor, mas que na história dá outra dinâmica. Eu vi o filme depois de ler e amei!

 

Essa foi a MINHA opinião, conta a SUA pra mim? Curta, comente e compartilhe. Te vejo depois do próximo “fim”.

Minha nota para ele é de CINCO smileys!

 

 Ficha Técnica:
Autor: Agatha Christie
Editora: Harpercollins
Ano: 2016
Páginas: 200
Skoob: Assasinato no Expresso do Oriente
Onde Comprar: Americanas, Livraria da Travessa
Amanda

Hey pessoas! Sou Advogada, tenho 23 anos, Sul-mato-grossense, Nerd assumida, amante de livros, música clássica e rock; mais falante que o burrinho do Shrek e incapaz de deixar uma sala em silêncio por mais de 1 min - pelo menos dizem que sou engraçada, vai saber. Não sou hiperativa, mas tô quase lá! Ah e por fim, uma romântica incorrigível - não aceito final triste em livros, NEVER - #Feliz :D

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales