Como eu era antes de você, resenha II, @intrinseca

por há 3 anos e 387 leituras

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Primeira resenha feita pela Anastácia, nossa doce Naná. Leia aqui.

Este livro me pegou de mansinho e, quando menos percebi, estava presa de tal modo aos personagens que sabia que, ao terminar, viria uma ressaca literária das grandes. Com certeza está entre os melhores romances que li em 2015, porém fiquei muito triste e não concordei com o final. Gostei demais de Como eu era antes de você, tanto que comentei várias partes com meu marido, principalmente o final. Ele concordou com a autora e a discussão (saudável, claro) foi bem longa, cada um com seus argumentos.

A história começa contando sobre Will, um homem de 33 anos que saiu para trabalhar em um dia chuvoso. Por conta do mau tempo, ele desiste de usar sua moto e sai em busca de um táxi. Ocorre um acidente e os capítulos mudam para Louisa Clark.

Ela é uma mulher doidinha, que se veste de maneira excêntrica e trabalha em um café. Quando o dono decide fechar a loja, ela fica sem emprego e procura vagas em sua cidade. Depois de várias tentativas, Lou consegue um emprego como cuidadora de um cadeirante. Ela não precisará de muitos cuidados, até porque não tem experiência nem formação na área, mas deve animar o chefe e fazer companhia a ele durante o dia.

Com o passar dos capítulos você percebe que o cadeirante em questão é Will. Ele ficou tetraplégico naquele acidente e sua mãe quer que ele veja o sentido da vida. Seus dias são preenchidos de forma monótona, já que ele se recusa a sair de casa e coloca sua cadeira de rodas próxima à janela ou ouve músicas. É puro tédio.

Lendo o livro a gente vai pensando: será que Lou e Will vão se apaixonar? No começo isto é impossível, pois ele a trata muito mal e a moça se sente péssima, quer se demitir e largar tudo. Porém, por ter a maior renda da casa, ela se obriga a continuar no emprego e uma grande amizade se forma. Não, eu não vou contar se eles ficam juntos, você terá que ler o livro!

Eis o que sei a seu respeito, Srta. Clark. Minha mãe disse que você é falante. – Ele disse isso como se fosse um incômodo. – Vamos combinar uma coisa? Daqui por diante, pode ser desfalante?

A história muda de rumo quando Louisa ouve uma conversa entre a mãe e a irmã de Will. A partir daí ela percebe o real motivo de sua contratação e quais são as suas verdadeiras responsabilidades. A senhorita Clark tem uma difícil tarefa em mãos e pouco tempo para realizar.

Com isso, acontece uma mudança em sua rotina. Há muita pesquisa de internet envolvida, além de programação de passeios e conversas com tetraplégicos em salas de bate-papo. Louisa se entrega de corpo e alma à tarefa que foi submetida. Enquanto isso, ela e Will vão se apegando cada vez mais.

Seis meses, George. Ele prometeu me dar mais seis meses. Não quero que você toque mais nesse assunto, muito menos na frente de outra pessoa. E temos… – Ela respirou fundo. – Temos que rezar muito para que, nesses seis meses, aconteça algo que o faça mudar de ideia.

Seis meses se passaram e o contrato de serviço temporário foi encerrado. Será que Louisa conseguiu seu objetivo? Como ficará sua relação com o chefe/melhor amigo? Ah, não contei para vocês que ela tem um namorado há seis anos. A relação sobreviverá depois de tantas lutas pelo cadeirante?

Sim, só lendo para saber. Como disse, não concordo com o final escrito por Jojo Moyes. Mas entendo seus argumentos e com certeza assistirei ao filme baseado no livro, que estreará no ano que vem.

Nota máxima para Como eu era antes de você!

5 coraçõesFicha técnica:

Título: Como eu era antes de você

Autor: Jojo Moyes

Editora: Intrínseca

Ano: 2013

Páginas: 320

Skoob: Como eu era antes de você

selo-blog-parceiro-editora-intrinsecaBeijinhos da Nanda!

Nanda

(até 2017) De manhã: funcionária pública (secretária escolar). De tarde: leitora beta, redatora, corretora e revisora de textos. Em tempo integral: sou casada, tenho um filhote muito fofo de Yorkshire chamado Paçoca, sou viciada em livros e apaixonada por séries de TV, especialmente de culinária, Friends e The Big Bang Theory. Iniciei no portal em junho de 2013, na área de filmes, e um ano depois comecei a resenhar livros.

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales