Cidade dos Fantasmas, @grupopensamento

por há 9 meses e 250 leituras

Após uma catástrofe que matou milhões de pessoas, uma fenda se abre entre as dimensões e as cidades passam a ser assombradas por fantasmas. Verônica não passa um dia sem ver um fantasma, mas eles não a assustam. Porém, os fantasmas estão ganhando força e começam a aparecer com muito mais frequência. Ela e seu colega de classe Kirk, investigam por quê e descobrem uma história sinistra: August, seu professor de história, não se conforma que a sua filha não voltou do mundo dos mortos como fantasma e acha que para isso acontecer ela precisa primeiro se apossar de um corpo, e que Verônica é a pessoa certa para abrigar o espírito da filha. Mesmo que esteja errado, que mal há em criar mais um fantasma, se já existem tantos!

Venho hoje com mais uma dica para esse outubro assombrado, Cidade dos Fantasmas foi uma cortesia que recebi do grupo pensamento, e tenho que confessar que não li a sinopse antes de pegar o livro para ler, o que foi uma boa coisa porque a sinopse revela muito do enredo e talvez eu não tivesse me surpreendido o tanto que me surpreendi.

Verônica é uma garota normal, que vive em uma cidade uma tanto anormal. Depois de um “acontecimento” que levou a morte de milhares (quiçá milhões) de pessoas uma espécie de evento paranormal aconteceu, eles agora podiam ver fantasmas, ou reflexos do que essas pessoas foram em vida.

Na sua própria casa há um fantasma, seu pai aparece todos os dias ás 7:13 h para tomar café e ler o jornal, mas esses fantasmas não interagem, eles somente repetem um padrão. Mas na casa de Verônica aparece um fantasma que não segue exatamente estes padrões. Brian tem uma certa consciência dos acontecimentos a sua volta.

“Eu atravesso paredes. Sussurro na janela quando a vejo deixar nossa casa. Oscilo nos limites da minha própria memória. […] Eu me lembro. Que pensamento estranho para alguém como eu. Estranho porque eu mesmo não passo de uma lembrança. Uma lembrança que ninguém além de mim guarda mais.”

A meu ver o que fez ele ter essa consciência foi o fato de sua namorada ter sido assassinada a poucos metros dali, e o assassino estar prestes a fazer uma nova vitima, que vem a ser nossa protagonista.

Apesar de todos já estarem se acostumando com os “fantasmas” é possível ver uma medo pairando no ar, segundo os pesquisadores eles deviam começar a desaparecer, mas cada vez aparecem mais e mais fantasmas. Algumas pessoas se sentem intimidadas, outras correm atrás para presenciar assassinatos (a memória deles).

“O Mundo inteiro é mal-assombrado agora, Janine, ela pensou, mas guardou o pensamento para si, enquanto arrastava a amiga ladeira acima, em direção a escola.”

August, é o professor de história de Verônica, e vê nela a oportunidade de rever sua filha, morta em um dia 29 de fevereiro, antes do acontecimento, e este era o dia em que ela poderia voltar, coincidentemente Verônica faria aniversário neste dia e o dia perfeito para que ele tentasse trazer sua filha de volta era esse. A cada dia Verônica e seus amigos desconfiam mais do professor, sua loucura vai ficando cada vez mais aparente.

“Definitivamente, havia algo estranho com o Sr. Bittner hoje, Verônica pensou. Não só porque ele se interrompia em certos momentos da aula da aula para olhar para ela. Os professores faziam isso o tempo todo – os bons, pelo menos -, examinando a classe durante a aula, avaliando quem estava prestando atenção e quem estava viajando pelo espaço sideral. Mas toda vez que Bittner se interrompia – toda vez -, os olhos dele pousavam nela.”

E é neste desenrolar de fatos que vamos desvendando alguns dos segredos contidos em Cidade dos Fantasmas. Apesar de ter sido um livro muito bom e fluido de ler senti falta de uma maior explicação sobre o que foi o Acontecimento, que causou a aparição das imagens/fantasmas, isso fica somente pairando no ar e só podemos imaginar que foi algum desastre.

Também achei que o final poderia ter sido um pouco mais elaborado. Sem dar muitos spoilers para vocês, eu só queria entender o que causou a punição de Bittner.

Bem não vou me estender mais que o necessário, foi um ótimo livro, fluido e fácil de ler, acabei ele em poucas horas, é ótimo para quem gosta de atividades paranormais e suspense, mas não chega a ser terror.

MINHA NOTA

FICHA TÉCNICA

logos-jangada

Autor: Daniel Waters

Editora: Jangada – Grupo Pensamento

Páginas: 304

Ano: 2016

Skoob: Cidade dos Fantasmas

Onde Comprar: Saraiva / Cultura Travessa

Essa foi uma cortesia do Grupo Pensamento.

selo-grupo-pensamento

Beijinhos da Paty 😘

Paty

Pode me chamar de Paty, sou uma libriana sentimental e cabeça dura que gosta de escrever, Gosto de vampiros e anjos e tudo aquilo que me tira da realidade, livreira por vocação. Insegura e corajosa, nervosa e determinada, são as contradições que fazem de mim quem eu sou.

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2017 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales