Amante Meu, resenha.

por há 5 anos e 330 leituras

Amante MeuLeiam minhas considerações sobre o oitavo livro da Irmandade da Adaga Negra: Amante Meu, da autora J. R. Ward e publicado no Brasil pela editora parceira Universo dos Livros.

Sinopse:

A sinopse deste livro pode ser lida AQUI.

As resenhas dos livros anteriores podem ser lidas ao clicar nos títulos: Amante Sombrio, Amante Eterno, Amante Desperto, Amante Revelado, Amante Liberto, Amante Consagrado e Amante Vingado.

Resenha:

Depois de ter lido “Amante Vingado” não estava me aguentando de ansiedade para ler “Amante Meu”, como disse nas resenhas anteriores John estava ganhando cada vez mais espaço e isso estava me agradando. Foi por isso que ao surgir a oportunidade corri para o meu exemplar e comecei a leitura de mais este livro da Irmandade da Adaga Negra.

Já iniciamos a leitura acompanhando um momento de grande tensão para o nosso protagonista, ele está numa busca incansável visando se vingar pelo que fizeram a Xhex. Fora isso ele ainda tem que lidar com o buraco que parece ter se instalado na sua relação com Tohr, ainda que o último esteja tentando se aproximar.

Considerando todo o problema não é surpresa vermos um John amargurado e focado em destruir o redutor responsável pelo que aconteceu a ele, John se porta como um verdadeiro Hellren sem sua Shellan.

Durante a narrativa temos a chance de nos aproximarmos de Blay e de Qhuinn, vemos o quanto esta relação parece estar sofrendo por tudo que não foi conversado. Primeiro observamos o quanto isso tem sido difícil para Blay, mas com o decorrer da leitura percebemos que Qhinn também está abalado pela distância que se criou entre eles, e isso tudo piora quando Blay decide seguir o seu caminho.

E como não poderia deixar de ser também temos a oportunidade de saber o que está acontecendo a Xhex. Vemos o quanto ela está sofrendo, aprisionada por Lash, tendo que acatar as vontades do poderoso filho do Ômega, mas sempre causando alguns danos, claro. Eu preciso dizer que gosto muito desta mulher, uma verdadeira guerreira, que mesmo muito fragilizada ainda encontrava forças para se manter de pé.

Devido ao orgulho de Ômega, está aí uma característica semelhante entre ele e sua irmã, a Virgem Escriba, Lash é prejudicado, restando a ele observar a redução de suas forças, tornando-o ainda mais vulnerável. É nesta ocasião que Xhex consegue se libertar fisicamente do terror imposto por Lash e uma nova busca se instala entre a irmandade.

É gostoso ver o desenrolar da estória a partir daí, acompanhamos a aproximação entre John e Xhex, e vemos que isso torna a convivência com seu pai algo mais fácil. Ao ver Xhex viva, John percebe o tamanho do sofrimento de Tohr e o que o fez se ausentar ao passar por isso.

Como era de se esperar as coisas esquentam entre nossos protagonistas. Xhex e John formam um casal quente apesar de estarem tentando manter as coisas como algo temporário e passageiro. Nesta situação, no entanto, Xhex e John abrem a guarda e se expõem um ao outro, permitindo uma identificação principalmente no que se refere aos traumas psicológicos de ambos.

A narrativa em terceira pessoa nos permite estar juntos a John e a Xhex, aos redutores, por vezes ainda acompanhamos os pontos de vista de Blay, Qhuinn, Wrath e Payne, além de acompanharmos o desenvolvimento de uma estória do passado em comum de Darius e Tohr que remete diretamente a vida de John nos dias atuais e ainda somos surpreendidos por outra estória em paralelo, onde conhecemos um hotel famoso por ser mal assombrado o que permite muitas especulações por parte do leitor, eu posso garantir que não esperava o “desfecho” proposto para esta estória.

“Amante Meu”, assim como seus antecessores, é um livro com conteúdo adulto, mas se concentra menos neste aspecto. O livro tem muitos assuntos e personagens como foco tornando a leitura ágil, dando licença para o leitor conhecer os futuros protagonistas. Nas páginas finais desta leitura vemos um claro gancho para o nono livro da série: Amante Libertada.

Recomendo a leitura para quem gostou dos livros anteriores, para quem ainda não conhece a série fica a dica, “Amante Meu” tem uma pitada quente, misturada com muitas páginas de ação e romance.

Queridos ajudem na divulgação do blog e de suas postagens usando as ferramentas +1, Curtir e Tweetar que se encontram abaixo do título de cada postagem e no final da página inicial. Obrigada! Beijos.

Abril, mês de nosso aniversário! Portal 3 Anos!

3 comentários para “Amante Meu, resenha.”

CrisGomes

Ai, ai… (#suspira)

Como sempre, amei sua resenha, Fran. Morro de saudade dos livros da IAN, e adoro poder matar um pouco dessa saudade lendo suas resenhas e vendo suas considerações sobre o livro.

A relação do John com a Xhex é cheia de problemas e as vezes dá vontade de dar umas sacudidas nos dois para se acertarem logo de uma vez, mas ainda assim formam um casal lindo (e cheios de traumas e problemas. Mas qual casal da IAN não tem problemas, né. rs)

Uma coisa que gosto nos livros dessa série, é que apesar de serem livros adultos, com algumas cenas BEM quentes, ele não se focam só nisso e os livros são recheados de ação, aventuras e estórias paralelas que vão se ligam ao longo do caminho.

A estória do hotel assombrado é meio inesperada mesmo. rs

Adorei Amante Meu, e em Amante Renascido há MUITO mais de John e Xhex… Ah, isso é outra coisa que adoro nessa série: os protagonistas de livros anteriores (quase) sempre voltam em outro livro para terminar de resolver as pendências que ficaram para trás. ;)

Tá bom, vou para de escrever agora. Me empolguei, como sempre. rs

Xero e parabéns pela resenha!

    FranFlores

    Ah Cris, que feliz. Bom saber que consegui agradar uma fã da série.
    É bem verdade que todos os casais de IAN tem problemas, mas neste caso os dois tem que lidar com muitos fantasmas para fazer isso funcionar.
    Amante Meu particularmente tem muitas estórias paralelas, a do hotel sendo a mais inesperadas dentre elas.
    Espero ler Amante Renascido em breve Cris, só falta ler Amante Libertada e ter um dinheirinho para comprar o livro do Tohr. ;)
    Obrigada pelo elogio e por ter comentado.
    Beijos.

Sibele Oliveira

Já estou no Amante meu mais o q mais gostei foi Amante Desperto Z e Bella são demais adoro

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales