Amante consagrado, resenha.

por há 6 anos e 439 leituras

Leiam a minha resenha do sexto livro da série Irmandade da Adaga Negra, Amante Consagrado de J. R. Ward, lançado no Brasil pela editora parceira Universo dos Livros.

Sinopse:

“Nas sombras da noite de Caldwell, Nova York, desenvolve-se uma furiosa guerra entre os vampiros e os seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. E agora, um Irmão obediente deve escolher entre duas vidas… Ferozmente leal à Irmandade da Adaga Negra, Phury se sacrificou pelo bem da raça, convertendo-se no macho responsável por manter a linhagem da Irmandade. Como o Primaz das Escolhidas, ele será o pai dos filhos e das filhas que assegurarão que sobrevivam as tradições da raça, e, que haja guerreiros para lutar contra os redutores. Como sua companheira, a Escolhida Cormia quer ganhar não só o corpo, mas também o coração de Phury para si… Ela vê o guerreiro emocionalmente deteriorado atrás de toda sua nobre responsabilidade. Mas enquanto a guerra com a Sociedade Redutora se torna mais severa, uma grande tragédia abate a mansão da Irmandade e Phury deve decidir entre o dever e o amor.”

As resenhas dos livros anteriores podem ser lidas ao clicar nos títulos: “Amante Sombrio”, “Amante Eterno”, “Amante Desperto“, “Amante Revelado” e “Amante Liberto”.

Resenha:

Como já me surpreendi muito com o talento da autora J. R. Ward não imaginei que fosse desgostar da leitura de “Amante Consagrado” apesar de alguns comentários. E não me decepcionei, este foi um dos livros da Irmandande da Adaga Negra que mais me emocionaram devido ao desenrolar da estória de algumas personagens.

“Amante Consagrado” foca na estória do guerreiro Phury e da escolhida Cormia. Depois de ter assumido a função de Primaz em “Amante Liberto” iniciamos a leitura deste sexto livro nos deparando com as preocupações de Phury em selar sua obrigação deitando-se com Cormia. Phury está tão cego em relação a si mesmo, vendo-se de forma distorcida que mal percebe o envolvimento de Cormia por ele.

E é através deste problema que mergulhamos na mente de Phury e descobrimos o quão atormentado por seu passado ele é. Suas mágoas antigas parecem ter se intensificado ao passar dos anos, levando-o ao vício e a certeza de ser amaldiçoado.

É com a presença de Cormia que Phury passa a se questionar, ainda que muita coisa tenha que dar errado para que ele enfim comece a enxergar e se posicione.

Isto está errado.
Era difícil discordar de si mesmo. A vida toda ele tinha vivido para os outros. Seu irmão gêmeo. A Irmandade. A raça. E essa  coisa de ser o Primaz tinha saído do mesmo livro. Tinha passado a vida toda tentando ser um herói, e agora estava não só se sacrificando, estava sacrificando Cormia também.”

Ao mesmo tempo em que vemos a relação de Phury e Cormia se estabelecendo, acompanhamos também o reerguer da sociedade redutora. Preciso dizer que me surpreendi com a forma que isso ocorreu, a arma surpresa do Ômega já chega mostrando a que veio, causando muitas baixas e consequente  sofrimento a sociedade vampírica.

Blay, Qhuinn e John também estão mais presentes nesta narrativa, trazendo a tona as discussões sobre a relação estabelecida entre Blay e Qhuinn e também mostrando o potencial de John como guerreiro e amante (insira suspiros aqui, rs). Preciso confessar que depois de ler “Amante Consagrado” mal posso esperar para ler “Amante Meu” , oitavo livro da série, que tem John como protagonista…

“- Tem muitas mulheres neste clube.
Mas só existe uma de você.
– Acho que você ficaria melhor com elas.
E eu acho que você ficaria melhor comigo.
De onde vinha aquela confiança toda não importava. Quer aquilo fosse um presente para o ego vindo de Deus ou a idiotice proveniente da garrafa, ele ia em frente.
É fato, eu sei que ficaria.

Ao longo da leitura conhecemos um novo personagem que certamente causará muitas confusões: Lassiter, o anjo caído. A reação de V. ao reencontrá-lo mostra definitivamente que podemos esperar muito desta personagem. E acompanhando Lassiter, ou melhor, sendo acompanhado pelo anjo voltamos a nos encontrar com Tohr, o que rende um dos momentos mais emocionantes da série. Foi impossível segurar as lágrimas ao ler o reencontro de John e seu pai.

“Quando encontrou o olhar azul-escuro de Tohr, John sentiu como se os joelhos estivessem soltos. Tohr fechou os olhos e abriu os braços. John correu até a cama e abraçou o pai com toda a força.”

E por falar em emoção, como disse no início desta resenha, “Amante Consagrado” me deixou a beira das lágrimas e chorando copiosamente em diversos momentos. Até agora foi o livro que mais me tocou emocionalmente de uma maneira positiva, por estar feliz com o que estava acontecendo as personagens. Seja por vê-los caminhando para a superação, ou por terem alcançado algo que desejaram ou mesmo por terem conseguido se entender e valorizar o que conquistaram ainda que tenha sido muito sofrido chegar onde chegaram.

Definitivamente este ainda é um livro adulto, mas como muitos já tinham me dito, as passagens quentes aparecem em menor número se compararmos com os cinco livros anteriores. No entanto, isso é bastante coerente com as questões psicológicas de Phury, que acredita ser capaz de amaldiçoar todos que estão a sua volta. Mas não se iludam, as cenas quentes ainda estarão lá, apenas demorarão mais a aparecerem.

Gostei muito da narrativa que flui facilmente, mais uma vez fiquei presa as reviravoltas que ocorreram no livro, entre elas a nova arma do Ômega e o posicionamento de Phury que causa grandes mudanças para a sua raça. E claro, torci muito para que os guerreiros da irmandade mais uma vez conseguissem lidar com as dificuldades que se puseram em seus caminhos.

“Não perdeu. Nem um pouco. Seja uma mãe para a raça, não uma zeladora, e você vai ter tudo o que quer. Liberte-nos e nos deixe crescer.”

Outro fator que me agradou foi o fato de saber mais sobre algumas personagens que ainda serão aprofundados em seus livros. Rhev, John, Xhex, Blay,  Qhuinn e Tohr tomaram muitas páginas neste livro e me deixaram bastante curiosa e cheia de vontade de conhecer logo a história de cada um deles.

Como sempre recomendo a leitura, para quem leu os livros anteriores e gostou, “Amante Consagrado” é obrigatório! Já para quem ainda não conhece os guerreiros da Irmandade da Adaga Negra fica a dica para que comecem a lê-los, certamente agradará os fãs de romance adulto com temática sobrenatural.

Beijos.

[Queridos ajudem na divulgação do blog e de suas postagens usando as ferramentas +1, Curtir e Tweetar que se encontram abaixo do título de cada postagem e no final da página inicial. Obrigada!]

15 comentários para “Amante consagrado, resenha.”

Mayara

Ótima resenha !
esse é um dos meus livros preferidos de toda a saga! claro sou suspeita por que caio de amores pelos gêmeos Z e Phury meus personagens preferidos na irmandade junto com o John rsrs .

    FranFlores

    Obrigada Mayara, sempre fico muito feliz em agradar as fãs da série. Gostei muito deste livro também, e sim, estes gêmeos atormentados merecem muita atenção. rs Como eu disse na resenha estou louca para chegar ao livro do John, está faltando pouco agora, o que falta para mim é tempo.
    Valeu por ter comentado.
    Beijos.

josi teixeira

Fran,quando estava na metade da leitura da sua resenha,sabia que era sua,pois você é a resenhista que mais escreve, rs,rs,rs…tem umas de vocês que consigo reconhecer só lendo os textos….enfim,adoro esse livro,na verdade sou apaixonada pela saga,viciada é palavra mais correta para usar em se tratando da IAN que é uma loucura.Mas,o livro que mais gosto é do Zsadist.
bjos!!!!!!!!

    FranFlores

    É verdade, eu tenho que me segurar para não escrever um livro no lugar de uma resenha. rs Espero que apesar de longa você tenha gostado Josi.
    Eu também gosto muito de IAN, sempre sofro por não conseguir manter a leitura da série na sequência. Mas logo que puder leio Amante Vingado para conhecer mais do Rehv.
    O livro do Z. está entre os meus favoritos também.
    Obrigada por comentar.
    Beijos.

Shara

Nunca vi a estória de Prury assim. É um fato que ele é atormentado, mas nunca soube que poderia me emocionar com a resenha de Amante Consagrado como me emocionei com a sua.
Como vc sabe esse livro não estava entre meus favoritos para ler pelos comentários que li de que esse livro seria o mais fraco em cenas hot, mas como vc disse isso não faltou no livro e ainda teve muita emoção (não que eu seja tarada nem nada, mas cm todo mundo sabe esses livros são hot ao extremo, mas não pornografia o que conta muito a favor dessa série)… Vou ler é uma certeza que ele ta na minha lista de compras de natal.
To no ônibus e comentando pelo cel desculpe os erros se aparecem e se o comentário fizer pouco sentido agora é exatamente 6:25 da manha. E ainda com sono :p.
Fran resenha maravilhosa me emocionou logo cedo rs :). Morrendo de vontade de ler ele quando aparecer a oportunidade de ler esse livro te digo tudo o que achei dele.

    FranFlores

    Ai Shara, acho que vc não faz ideia do quanto o seu comentário me emocionou!
    O livro do Phury é sim muito emocionante, envolve muitas questões e o desenvolvimento de diversos personagens, impossível não ficar felizinha com as coisas boas que acontecem com estes guerreiros. E acho que você vai gostar de ler algumas partes hot do John, o cara mostra que tem potencial #fato rs
    Na torcida para que você complete esta série logo, uma ótima desculpa para eu poder reler estes livros! rs E também uma boa opçõa de presente de natal ;-)
    Muito obrigada pelo carinho, pelo apoio e pelo lindo comentário.
    Beijos.

CrisGomes

AMEI a resenha, Fran!

Como já disse, li a série já faz um tempo e esse não era um dos meus favoritos, não por não ter muitas cenas hot, porque tem algumas sim (como a do cinema…ok, só vou dizer isso rs), mas porque a cegueira e obsessão de Phury me irritou demais. Sei que ele passou por muita coisa (isso é um ponto comum entre todos os Irmão, são todos perturbados e atormentados, #FATO).

Sua resenha me fez lembrar das partes que gostei livro: o aparecimento de Lassiter, o reencontro de John e Tohr; conhecemos mais de Blay e Qhuinn, de Rhev e Xhex… gente, tem muita coisa boa nesse livro que eu não lembrava!!! :(

Ah, acho que você adorar Amante Meu!! O livro do John é MUUUUITO bom, o moço É decidido e achei a estória dele linda!

O livro do Rhev também é muito bom e tem momentos muito angustiantes… Quanto a arma secreta do Ômega, só posso dizer: UAU! Mas, se prepara, porque ainda viram muitas reviravoltas nos próximos livros… Ok, vou parar por aqui para não soltar spoiler. rsrs

Adorei relembrar da estória do Phury. Vê-la pelo seu ponto de vista vez o livro ganhar alguns pontos no meu conceito. Obrigada!!!

PS.: Preciso arrumar tempo para reler essa série. #FATO2

Foi mal pelo comentário gigante… rsrsrs

Xero!

    FranFlores

    Imagino mesmo que muitas reviravoltas virão Cris, até pq a J. R. Ward só perde para Cassandra neste aspecto! rs
    Fiquei muito feliz por você ter amado a resenha, ótimo saber que consegui agradar outra fã da série.
    Sim, o livro do Phury fala muito dos problemas dele, mas também traz bastante de diversos personagens. Conhecer mais do John foi delicioso e olha que não dava muito por ele quando ele não tinha passado pela transição… O Qhuinn é outro que tem tudo para me agradar.
    Bom saber que minha resenha te fez lembrar destes outros pontos fazendo você lembrar deste livro de forma mais “feliz”! Amante consagrado não é meu favorito da série, mas certamente é um livro que eu relerei muitas vezes na vida.
    Ah! Não precisa se desculpar pelo comentário enorme, eu os adoro do fundo do meu coração.
    Muito obrigada pelo comentário Cris.
    Beijos.

JuLund

adorei a resenha E os comentários!

    FranFlores

    Eu também amei os comentários Ju. E fiquei mega feliz por você ter gostado da resenha, ainda tenho esperanças de que você pegue esta série para ler de novo.
    Obrigada por comentar.
    Beijos.

Trackbacks/Pingbacks

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales