Lançamentos da Editora Intrínseca!

por há 5 meses e 125 leituras

Olá Pessoal, venho mostrar a vocês os principais lançamentos da Editora Intrínseca que tem apresentado ótimas novidades.

Estúpida, Eu?, de Camila Coutinho: Camila Coutinho é um fenômeno. Criadora de um dos blogs de moda mais influentes do mundo, o Garotas Estúpidas, hoje ela tem milhões de seguidores nas redes sociais, parcerias com grandes marcas globais, uma gama de produtos licenciados, é capa de revistas e presença garantida na primeira fila das mais importantes semanas de moda.

Designer de moda por formação e empreendedora por destino, Camila teve a ideia de criar o blog durante uma madrugada insone para trocar informações com as amigas numa época em que o conteúdo criativo na internet ainda engatinhava. Dez anos depois, ela compartilha em Estúpida, eu? o que fez para transformar – com muita inteligência e jogo de cintura – o que era apenas um hobby em um grande negócio, além de compartilhar suas ideias sobre o que podemos esperar do futuro da moda em um mundo cada vez mais conectado.

Nix, de Nathan Hill: Em seu elogiado romance de estreia, Nathan Hill conta o drama tragicômico de Samuel Anderson, um escritor fracassado obrigado a lidar com antigas feridas, reabertas pelo inesperado ressurgimento da mãe, Faye, que abandonou a família quando ele era criança.

Faye é acusada de um crime absurdo registrado em um vídeo que viraliza na internet. A surpresa de Samuel é ainda maior ao perceber que, ao contrário da imagem de boa moça que se casou cedo com o namoradinho da escola, a mídia passa a retratá-la como uma hippie radical de passado sórdido.

Engraçado e inteligente, Nix apresenta uma trama ao mesmo tempo contemporânea e atemporal, ao abordar, através de gerações, as dores cíclicas de uma família que mal se conhece.

Comer Para Não Morrer, de Michael Greger e Gene Stone: Infecções, diabetes, depressão, cardiopatias. Seja qual for a doença, a rotina é a mesma: após exames e consultas, a maioria dos médicos se restringe a receitar um remédio ao paciente. Tratamentos alternativos não são mencionados, e medicina preventiva parece uma realidade distante. O resultado é que milhares de vidas são perdidas prematuramente em virtude de doenças que poderiam ter sido evitadas ou revertidas. Mas não precisa ser assim.

Escrito pelo médico Michael Greger, Comer para não morrer trata de um estilo de alimentação capaz de prevenir, controlar e até reverter muitas das principais causas de morte da atualidade: a dieta à base de vegetais – ou plant-based diet, como é conhecida pelos especialistas. Com uma linguagem clara e ferramentas práticas que nos indicam o que comer, quando e em que quantidade, o livro se fundamenta em estudos acadêmicos para desmistificar a ciência por trás dessa forma de nutrição revolucionária e mostra que adotá-la está longe de ser um bicho de sete cabeças.

O Senhor do Caos, de Robert Jordan: Recuperando-se em meio às Sábias, Egwene deseja prosseguir por conta própria em seus estudos sobre o Mundo dos Sonhos, mas ainda precisa aprender uma dura lição sobre o código de honra Aiel. Em Salidar, a lealdade de Elayne e Nynaeve às dissidentes da Torre Branca as coloca em uma posição difícil: elas devem tentar proteger as Aes Sedai de si mesmas.

Mat e Perrin, por sua vez, precisam arriscar a própria vida para seguir Rand. Enquanto isso, o Dragão se divide entre governar Cairhien e Caemlyn, sem jamais encontrar refúgio das decisões difíceis e da voz de Lews Therin, que ameaça fazê-lo sucumbir à loucura.

Em O senhor do Caos, as intrincadas tramas continuam a se desenrolar e Jordan demonstra maestria em resolver os conflitos dos volumes anteriores criando novos suspenses. A ordem e as antigas instituições desmoronam para abrir caminho para o senhor do caos no novo volume de A Roda do Tempo, uma das mais extraordinárias séries já escritas.

No Tempo dos Feiticeiros, de Cressida Cowell: Divertida aventura que se passa num mundo mítico de vikings e dragões, a série infantil Como treinar o seu dragão se tornou um sucesso no mundo inteiro. São 12 livros, além de 2 volumes extras, que somam 780 mil exemplares vendidos no Brasil e 8 milhões no mundo, além de ter inspirado adaptações para a TV, numa série de animação exibida pelo Cartoon Network, e para o cinema, produzida pela DreamWorks.

Agora, a escritora e ilustradora Cressida Cowell deixa os vikings de lado para uma nova trilogia, sobre os antigos tempos em que havia feiticeiros, bruxas, guerreiros… e Magia. No tempo dos feiticeiros mostra a guerra entre duas tribos: os feiticeiros, que eram mágicos, e os guerreiros, que não eram. Esta é a história de Xar, um menino feiticeiro cujos poderes ainda não despertaram, e de Desejo, uma menina guerreira cujo maior sonho é ser reconhecida pela mãe. Xar e Desejo foram ensinados a odiar um ao outro, mas terão que superar as diferenças e enfrentar um mal que pode destruir seus lares.

Deuses Americanos, de Neil Gaiman, P. Craig Russell e Scott Hampton: O grande clássico de Neil Gaiman agora em quadrinhos

Mistura de road trip, fantasia e mistério, o romance Deuses americanos alçou Neil Gaiman à fama mundial e ao posto de um dos maiores escritores de sua geração. Agora, os fãs de quadrinhos e da obra-prima do autor  têm mais um motivo para celebrar: chega às livrarias o primeiro volume das graphic novelsinspiradas em Deuses americanos. Ao todo, serão três volumes.

Em Sombras, as cores e os traços vibrantes de P. Craig Russell e Scott Hampton nos apresentam Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de sair da prisão e descobre que sua mulher morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele aceita trabalhar para o enigmático Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses – os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) -, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.

Todas as Coisas Belas, de Matthew Quick: Você é livre para ser quem quiser – mesmo que isso tenha um preço. Depois de O lado bom da vida, Matthew Quick cria romance para todos que desejam se encontrar. Consagrado no Brasil com o best-seller O lado bom da vida, Matthew Quick traz ao público jovem uma ode à liberdade, abordando as complexas questões de identidade que marcam a transição para a idade adulta.

Aos 18 anos, Nanette O’Hare é a típica boa garota. No fundo, porém, ela nunca se sentiu realmente parte do grupo, sufocando em um permanente desconforto com diversas atitudes das amigas e com os padrões sociais. Mas tudo muda quando, no último ano do colégio, ela ganha um livro de seu professor preferido, o clássico cult O ceifador de chicletes, e fica fascinada com a mensagem de que ela pode ser de fato quem é. Nanette se torna amiga do recluso autor e se apaixona por Alex, um jovem poeta que também é fã do livro. Encantada com esse novo mundo que se abre, ela se permite, pela primeira vez, tomar as próprias decisões. No entanto, aos poucos Nanette percebe que a liberdade pode ser um desejo arriscado e começa a se perguntar se a rebeldia não cobra um preço alto demais.

 

Trilha Sonora para o Fim dos Tempos, de Anthony Marra: Livro de contos revela talento de Anthony Marra, eleito pela revista Granta um dos mais promissores autores norte-americanos da década. Nesta coletânea, Marra apresenta uma série de personagens inesquecíveis, cujas vidas se entrelaçam de maneira comovente, imprevisível e incontornável. Nos anos 1930, um artista de Leningrado trabalha para o governo de Stálin como censor, apagando em pinturas e fotografias os traidores do regime soviético. Entre os rostos que ele elimina, está o do próprio irmão, condenado à morte.

Nos dias de hoje, uma historiadora de arte dedica-se a estudar o mistério que se esconde na obra desse censor rebelde, cujos segredos atravessam décadas e fronteiras e confundem-se com a história da Rússia. Essas e outras trajetórias – como as de uma bailarina e seus descendentes, espiões poloneses, mendigos, uma beldade siberiana e até de um lobo – são unidas por sentimentos de nostalgia, injustiça e desolação retratados com vitalidade em Trilha sonora para o fim dos tempos, a coletânea de contos que consolida Anthony Marra como um dos autores americanos mais promissores do momento.

Segredos do Acampamento Meio-Sangue, de Rick Riordan: A mitologia greco-romana revisitada nas histórias e aventuras de Percy Jackson e outros heróis do Acampamento Meio-Sangue.

Todo recém-chegado ao Acampamento Meio-Sangue é recebido por um vídeo de orientação e boas-vindas do magnífico deus Apolo. Isso não seria um problema se o vídeo não fosse péssimo e ninguém aguentasse mais. Chegou a hora de dar um basta e ceder a palavra a quem realmente entende do assunto: os semideuses!

Percy Jackson, Annabeth Chase, Rachel, Thalia, Nico, Leo – em Segredos do Acampamento Meio-Sangue, esses e outros campistas veteranos esclarecem desde as dúvidas comuns dos novatos, tipo “Que lugar é esse?” ou “Posso ficar com a camiseta?”, até questões ancestrais, como origens das rixas entre os semideuses. No meio de tudo isso, claro, muitas histórias dos heróis que já moraram ou passaram pelo Acampamento enquanto seguiam suas incríveis jornadas e algumas palavras da sabedoria divina de Apolo, porque… bem, porque os semideuses preferem não correr o risco de excluir o mais vaidoso dos deuses e despertar sua ira eterna. Ilustrado e com capa dura, Segredos do Acampamento Meio-Sangue é o guia de bolso perfeito para o jovem leitor semideus interessado em mitologia greco-romana, com todos os elementos clássicos do universo de Rick Riordan e seu jeito único e divertido de recontar os mitos.

Bruce Dickinson – Uma Autobiografia: Muito mais do que um ícone do rock: as extraordinárias memórias do vocalista do Iron Maiden. Com mais de 40 anos na estrada e 90 milhões de álbuns vendidos, o Iron Maiden se firmou como uma dais maiores, mais sólidas e mais influentes bandas de rock de todos os tempos. Para milhões de fãs, essa trajetória de sucesso está diretamente associada a um nome e uma voz: Bruce Dickinson, vocalista e líder do grupo há 30 anos.

Mas, para além das performances lendárias, Bruce é um homem de muitos talentos. Ele é piloto e empreendedor da aviação, cervejeiro, palestrante, roteirista, escritor com dois livros publicados, apresentador de rádio, ator de TV e exímio esgrimista – ou seja, uma pessoa absolutamente singular. Conhecido por não falar da vida pessoal, Bruce compartilha em Para que serve esse botão? os detalhes de suas memórias extraordinárias, desde eventos marcantes de sua infância até a recente batalha contra um câncer na garganta. Com bastidores e curiosidades inéditos e dois encartes de fotos, o livro foi escrito à mão por Bruce em sete cadernos ao longo de dois anos de turnês. Leitura indispensável para fãs do Iron Maiden, curiosos sobre música, amantes de biografias ou de trajetórias inspiradoras.

O Homem de Giz, de C. J. Tudor: Assassinato e sinais misteriosos em uma trama para fãs de Stranger Things e Stephen King. Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes.

Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás. Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.

IKIGAI, de Héctor García e Francesc Miralles: Descubra seu ikigai e encontre o propósito que vai guiar sua vida. Por que existem pessoas que sabem o que querem, enquanto outras definham na confusão? Segundo os japoneses, o segredo é encontrar seu ikigai, conceito que pode ser traduzido como razão para viver. Ter um ikigai claro e definido proporciona a satisfação e o propósito que justificam nossa existência, sendo, para muitos, também a chave da longevidade.

Em Ikigai: Os segredos dos japoneses para uma vida longa e feliz, os autores Francesc Miralles e Héctor García vão até Okinawa, a ilha japonesa de população centenária, e reúnem pela primeira vez em livro os hábitos e rotinas que mantém em dia a saúde da mente, do corpo e do espírito daquele povo. Um guia com informações claras e sucintas, além de listas, tabelas e ilustrações que colocam em suas mãos as ferramentas certas para entender e encontrar seu ikigai.

 

Os Distorcidos (Five Nights at Freddy’s #2), de Scott Cawthon e Kira Breed-Wrisley: O jogo de sucesso que resgata em livro o melhor das clássicas histórias de terror. Five Nights at Freddy’s é uma das maiores séries de jogos de terror de todos os tempos. Com cinco jogos e milhões de cópias vendidas, conquistou fãs no mundo todo por trazer à tona os medos mais obscuros que só brinquedos sinistros são capazes de provocar.

Um universo agora expandido para uma série de livros coescritos pelo próprio criador dos jogos, Scott Cawthon. No primeiro volume, Olhos prateados, Charlie e seus amigos desvendam misteriosos assassinatos que aconteceram na Pizzaria Freddy Fazbear’s, um lugar tomado por perigosos animatrônicos. Agora, em Os distorcidos, um ano se passou e Charlie continua assombrada por pesadelos. Para piorar, uma nova onda de assassinatos começa a acontecer e ela se pergunta: mas se todo o terror foi destruído junto com o que sobrou da pizzaria, o que estaria por trás dessas mortes?

A Forma da Água, de Guillermo del Toro e Daniel Kraus: Richard Strickland é um oficial do governo dos Estados Unidos enviado à Amazônia para capturar um ser mítico e misterioso cujos poderes inimagináveis seriam utilizados para aumentar a potência militar do país, em plena Guerra Fria. Dezessete meses depois, o homem enfim retorna à pátria, levando consigo o deus Brânquia, o deus de guelras, um homem-peixe que representa para Strickland a selvageria, a insipidez, o calor – o homem que ele próprio se tornou, e quem detesta ser.

Para Elisa Esposito, uma das faxineiras do centro de pesquisas para o qual o deus Brânquia é levado, a criatura representa a esperança, a salvação para sua vida sem graça cercada de silêncio e invisibilidade. Richard e Elisa travam uma batalha tácita e perigosa. Enquanto para um o homem-peixe é só um objeto a ser dissecado, subjugado e exterminado, para a outra ele é um amigo, um companheiro que a escuta quando ninguém mais o faz, alguém cuja existência deve ser preservada.

Mistura bem dosada de conto de fadas, terror e suspense, A forma da água traz o estilo inconfundível e marcante de Guillermo del Toro, numa narrativa que se expande nas brilhantes ilustrações de James Jean e no filme homônimo, vencedor do Leão de Ouro em 2017. Uma história cinematográfica e atemporal sobre um homem e seus traumas, uma mulher e sua solidão, e o deus que muda para sempre essas duas vidas.

Gostaram das novidades? Confesso que tenho vários desejados nesta lista e mal posso esperar para conferir essas obras.

 

EveLlin

Olá, eu sou a Evellin, mas me chamam de Eve. Sou do interior de Pernambuco, mas atualmente moro em João Pessoa, pois estudo Relações Internacionais na UFPB. Adoro ler e também gosto bastante de assistir séries e filmes. Gostaria de conhecer outros países, mas também conhecer vários lugares do Brasil, pois sou fascinada por outras culturas, pontos turísticos e características específicas de cada nação, já fiz um intercâmbio para o Canadá e foi uma experiência incrível. :)

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales