Review de Uma Razão Para Viver

por há 2 semanas e 114 leituras

Sinopse:

“Em 1958, Robin Cavendish (Andrew Garfield), carismático e aventureiro comerciante britânico, de repente, se vê paralisado por poliomielite contraída em viagem de trabalho ao Quênia. Grávida do primeiro filho, sua esposa Diana Cavendish (Claire Foy) escuta dos médicos que ele jamais sairá da cama e não deverá viver muito mais tempo. Deprimido por não mover nada abaixo da cabeça, Robin inicialmente deseja morrer, mas o inabalável amor de Diana o faz olhar de outra maneira para a situação e desafiar os limites impostos.”

Ficha técnica:

Data de estreia: Novembro de 2017

Direção: Andy Serkis

Atores principais: Andrew Garfield, Claire Foy

Gênero: Drama

Fui ao Shopping Pelotas procurando por outro filme no Cineflix, mas o título Uma Razão Para Viver convenceu-me de que seria uma boa escolha. Dramas baseados em fatos reais sempre atraem público.

Robin é um rapaz alegre, que gosta de se divertir com os amigos e está sempre cercado por eles. Então conhece Diana e se apaixonam a ponto de não terem dúvidas sobre o casamento.

Em uma viagem ao Quênia, no final dos anos 50, Robin contrai poliomielite e, de repente, seu mundo desaba de uma só vez, ao descobrir que não sairá de uma cama de hospital.

Diana dá luz ao filho do casal, Jonathan, nesse mesmo período e tenta animar o marido com seu bebê nos braços. Porém Robin não reage. Diana não desiste e vai todos os dias ao hospital na esperança de melhores noticias.

Pois é exatamente Jonathan Cavendish, quem produz o filme. Ele que tem a trilogia Bridget Jones, Crupiê–A Vida em Jogo, Elizabeth-A Era de Ouro e o inédito Jungle Book  em seu currículo.

Jonathan decidiu então contar a história de sua família, da vida de seu pai  entregando o projeto e a direção ao amigo Andy Serkis, mais conhecido por interpretar personagens em computação gráfica: Smeagol (O Senhor dos Anéis), King Kong, Cesar (Planeta dos Macacos) entre outros.

O filme não é um romance arrebatador. Nem faz você derramar lágrimas. É tudo feito de uma maneira delicada e verdadeira. E é impressionante assistir a evolução da cadeira de rodas.

Robin era um homem bom, pois conforme sua cadeira de rodas evoluía e lhe ajudava a ter uma vida mais próxima do normal, mais ele pensava em ajudar as pessoas que tinham a mesma deficiência que a sua.

É um bom drama, com ótimas atuações e que vale ser assistido se você gosta de histórias baseadas em fatos reais.

Confira a programação AQUI.

Nota: 8,5

Beijocas

Gente, espero que apreciem a indicação. E voltem sempre!

Graça Siqueira

Olá pessoal, eu sou a Graça. Jornalista, gaúcha de Pelotas (RS), 62 anos, esposa, mãe e avó. Desde pequenininha amo o cinema. Também adoro livros, músicas e escrever. Sou bastante emotiva. Tenho muitos ídolos em todas as áreas. Sou simples, alegre e otimista.

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2017 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales