Review de Mente Criminosa.

por há 4 meses e 135 leituras

“Bill Pope (Ryan Reynolds) é um agente da CIA em meio a uma importante investigação. Ele acaba assassinado por um temível anarquista, deixando seus superiores na agência repletos de dúvidas sobre seu último caso, que envolvia a proteção de uma testemunha. Com a ajuda de um médico (Tommy Lee Jones), o chefe de Pope (Gary Oldman) transfere todos seus segredos, memórias, sentimentos e habilidades para prisioneiro imprevisível e perigoso (Kevin Costner). Instável, ele será a única solução da CIA para evitar consequências terríveis para os Estados Unidos e o mundo. Ao mesmo tempo em que tenta seguir sua vida, o criminoso terá que aprender a lidar com novos sentimentos, inclusive um certo carinho pela esposa (Gal Gadot) e pela filha do falecido agente.”

Título: Criminal
Estreia: 14/04/2016
Estreia DVD: 20/07/2016
Gênero: Ação
Duração: 113 min.
Origem: Estados Unidos, Reino Unido
Direção: Ariel Vromen
Roteiro: David Weisberg, Douglas Cook
Distribuidor: Califórnia Filmes
Ano: 2016

 

Quando assisti o trailer gostei muito, principalmente dos atores de sucesso como Tommy Lee Jones, Gary Oldman, o novo ganhador do Oscar, a bela Gal Gadot e Ryan Reynolds que, aparentemente, só se dá mal nos longas.
Bem, o filme conta a história de um agente da CIA,  Ryan Reynolds, que por infeliz coincidência, como nas maiorias de seus filmes, a gente já sabe que ele vai morrer ou algo de ruim vai acontecer com ele. Mais um  para lista de atores que dão spoilers dos filmes com suas participações.

Enfim, ele é assassinado sem concluir a sua missão. E como ele era uma das peças fundamentais para ajudar a salvar o mundo, graças a um experimento realizado pelo médico, vivido por Tommy Lee Jones, todo o conhecimento, sentimentos e habilidades do agente Pope poderá ser transferido para o criminoso Jerico (Kevin Costner).

Eu gostei do filme apesar dos clichês de sempre. Embora mediano achei estranho a escolha de Kevin Costner para ser o criminoso que vai receber as memorias de Pope, poia, a meu ver,  não ficou legal. O ator Nicolas Cage poderia ter sido Jerico, mas recusou o papel desta vez. Talvez ficasse ainda pior (rsrsrs). Desculpem, mas é minha opinião.

Realmente ele parece não se encaixar no papel do personagem. Talvez um ator mais jovem pudesse passar um clima mais romântico com a viúva de Pope. Fica uma sensação constrangedora e esquisita e, ao tentar se socializar com a filha, também não flui.

Isso não significa que o filme seja ruim. Só não concordei com a escolha para o personagem de Jerico. Sabe aquele vínculo que temos com o mocinho e a vontade que tudo dê certo e termine bem? Pois  não acontece. Jerico é violento e totalmente instável sem nenhuma simpatia. Um anti herói estranho mesmo.

Trailer:

Com os outros personagens, também com  existem atuações medianas. O vilão é fraco e esperava mais cenas de ação. Então não irei contar mais nada, pois já falei demais. Ainda assim recomendo o longa, pois é um entretenimento sem grandes surpresas, estilo Sessão da Tarde. Assistam.

Bitokas

Glaucia

Casada e mãe, Auxiliar administrativo, viciada em filmes de aventura, ação e principalmente de terror. Ama um bom Rock e é fascinada por Games. Colaboradora Oficial de janeiro/12 à dezembro/15. Colunista Ocasional desde janeiro/16. No twitter @glaucilenehorus

Facebook Twitter
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales