Review de João, O Maestro

por há 2 semanas e 83 leituras

Sinopse:

“João Carlos Martins foi considerado um prodígio do piano e conquistou fama internacional. Adolescente, viu seu nome em manchetes de muitos países. Tem um acidente cuja consequência leva a dores muito fortes. Ele retorna à vida de pianista e mais uma vez tem diminuído seus movimentos. Usando apenas uma das mãos, o músico realiza concertos e depois torna-se maestro.”

Data de estreia: Agosto de 2017

Direção: Mauro Lima

Atores principais: Rodrigo Pandolfo, Alexandre Nero, Davi Campolongo

Gênero: Drama

Quando pequeno João foi incentivado por seu pai a estudar piano. Um pouco porque também era seu próprio desejo. Com oito anos venceu um concurso de execução de obras de Bach e logo supera a mestra Aida de Vuono e passa a ensaiar com o rigoroso José Kliass (Caco Ciocler).

Já adolescente (Rodrigo Pandolfo) é convidado para apresentar-se em Porto Rico e, por incrível que possa parecer, o governo de nosso país se nega a patrocinar sua viagem e estada. Mas o governo argentino acredita em João e se dispõe a patrociná-lo. Em retribuição o pianista faz duas apresentações por lá, com muito sucesso. O que vemos a partir daí é o jovem João tentando aproveitar a vida. Relacionamentos fugazes e a bebida passam a fazerem parte de sua rotina.

Morou por muito tempo nos Estados Unidos sendo aclamado por onde se apresentava. Lá se tornou mais famoso ainda. Mas embora casado e com filhos, sua verdadeira paixão é o piano. É ainda lá que tem seu primeiro acidente.  Tocou com dificuldade até os 30 anos. Voltou então ao Brasil e tornou-se empresário musical e de boxe, por cerca de sete anos. Mas sua paixão pela música clássica o faria retornar aos palcos.

O filme é lindo. Bem feito. Fotografia ótima, som perfeito, atores que convencem. Embora em certos momentos o roteiro se detenha em fatos desnecessários, na maior parte vemos o crescimento de João em todos os sentidos. E vemos crescer também a obsessão pelo requinte e o desejo de tornar-se um pianista perfeito.

Pelas mãos de Mauro Lima, que gosta de levar histórias reais às telonas, o que sustenta o filme são as atuações dos escolhidos para interpretarem João: Davi Campolongo, também prodígio musical desde os três anos de idade, Rodrigo e por fim Alexandre Nero. Opção perfeita.

A plateia do Cineflix Cinemas era essencialmente de pessoas maduras que amam cultura, o trabalho e a obra de João Carlos Martins. João merece todo o nosso respeito pelo que fez e pelo que ainda faz. Com mais de 1.500 concertos no mundo inteiro, João Carlos realiza, na Faculdade de Música na Faculdade da Amazônia (FAAM), um programa de introdução à música com jovens carentes.

Em 2006, o maestro João Carlos Martins fundou a Orquestra Bachiana Jovem, com o objetivo de auxiliar a evolução musical de jovens musicistas. Mas em 2009 as duas orquestras juntaram-se e para formar a Bachiana Filarmônica SESI-São Paulo, composta por 65 músicos excelentes.

Confira a programação AQUI.

Nota: 10

Beijocas

Gente, deem essa chance ao cinema nacional sério e competente. E continue conosco!

 

Graça Siqueira

Olá pessoal, eu sou a Graça. Jornalista, gaúcha de Pelotas (RS), 61 anos, esposa, mãe e avó. Desde pequenininha amo o cinema. Também adoro livros, música e escrever. Sou bastante emotiva. Tenho muitos ídolos em todas as áreas. Sou simples, alegre e otimista.

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2017 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales