Review de Cinquenta Tons de Liberdade

por há 5 meses e 272 leituras

Sinopse:

“Superados os principais problemas, Anastasia (Dakota Johnson) e Christian (Jamie Dornan) agora têm amor, intimidade, dinheiro, sexo, relacionamento estável e um promissor futuro. A vida, no entanto, ainda reserva surpresas para os dois e fantasmas do passado, como Jack Hyde (Eric Johnson), voltam a impedir a paz do casal.”

Ficha técnica:

Data de estreia: Fevereiro de 2018

Direção: James Foley

Atores principais: Jamie Dornan, Dakota Johnson, Eric Johnson

 

Enfim, os primeiros minutos de oito de fevereiro chegaram e com eles a pré-estreia, no Cineflix, do tão aguardado Cinquenta Tons de Liberdade. O público, em sua maioria feminino, conferiu os 106 minutos da última parte da trilogia de E. L. James.

E a plateia sorriu e suspirou com a trama, bem dirigida mais uma vez, por James Foley. Com uma fotografia repleta de closes e rica em cores, acompanhada por trilha sonora excelente e cenário deslumbrante, pode até não ter um grande roteiro, mas nem é bem isso o que se busca em filmes desse gênero.

Cinquenta Tons de Liberdade não é filme para concorrer ao Oscar e se busca isso, nem vá ao cinema. É um filme para agradar quem gosta de romance, com certo erotismo, ambientado em um universo de ostentação, música e gente bonita.

Reinicia de onde parou e as primeiras cenas já são do casamente de Ana e Christian. O casal sai  em lua-de-mel e depois de aproveitar muito recebem a notícia de que uma parte do edifício das empresas Grey foi sabotada.

A partir daí somos envolvidos pelo suspense de “quem será”, “por que será” e “quando será” o novo ataque. O vilão Jack Hide já é conhecido de todos e encontrará algumas maneiras de infernizar a vida do jovem casal.

Em meio a isso Ana ainda conversa com o marido sobre ter filhos e se espanta ao descobrir que ele não quer essa responsabilidade. O filme é machista? Sim é. E o fato das mulheres serem seguidoras da trilogia não significa que aceitem isso. É apenas um jogo de sedução.

Ainda temos uma novidade que não é spoiler, porque a mídia já havia noticiado: Jamie Dornan canta. Sim, no filme. Aliás, não só no filme, pois fez parte da banda Sons of Jim. Na cena, ele é visto tocando piano e cantando a canção Maybe I’m Amazed, de Paul McCartney. Um dos momentos de suspiro da plateia.

Caso queira ouvir assistir a cena rapidamente acesse: https://youtu.be/DR9w0j5u2FI

Para quem já assistiu as outras duas partes é obrigatório. Para quem não assistiu, nem leu nada, vale pela beleza das imagens. As fãs não terão do que reclamar.

A crítica em geral, mais uma vez desdenhou o filme. Tem falhas, como a de Ana ainda se surpreendendo que o marido tenha um jatinho particular. Mas e dai? Os dois são lindos, se amam, são felizes e ricos. Isso realmente pode incomodar muita gente.

O que vale é sair do cinema alegre e já sentindo saudade. Confira a programação AQUI.

Nota: 9.

Beijocas

Espero que tenham gostado. Voltem sempre!

Graça Siqueira

Olá pessoal, eu sou a Graça. Jornalista, gaúcha de Pelotas (RS), 62 anos, esposa, mãe e avó. Desde pequenininha amo o cinema. Também adoro livros, músicas e escrever. Sou bastante emotiva. Tenho muitos ídolos em todas as áreas. Sou simples, alegre e otimista.

Facebook Instagram Twitter Google+
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales