Review de Bright.

por há 4 meses e 180 leituras

Sinopse:
“Humanos, orcs, elfos e fadas convivem desde o início dos tempos. Nesse mundo alternativo, os policiais Ward (Will Smith) e Jakoby (Joel Edgerton) combatem os mais variados crimes até o dia em que se depara com uma força sobrenatural capaz de mudar o destino do mundo”.

Titulo: Bright

Estréia: 22/12/2017

Gênero: Ação, Suspense / Netflix

Origem: Estados Unidos

Direção: David Ayer

Roteiro: Max Landis

Distribuidor: Netflix

Ano: 2017

Bright é um longa de ação bem diferente. Ele fala de uma época em que seres fantásticos como orcs, elfos e fadas convivem com humanos no futuro. Os orcs são os rejeitados considerados a escória do mundo que vivem nas favelas juntamente com os negros e hispânicos. Os belos elfos são a elite, que convivem muito bem com os humanos de alta classe assim vivendo nos melhores lugares. Os orcs vestidos com roupas nada típicas dos filmes de fantasia ficam estranhos e parecem  cantores de rap.

Bem, vamos deixar o figurino de lado já que não gostei muito do estilo dos orcs e falar mais sobre o longa, que conta a historia de um orc  chamado Jakoby, que se torna o primeiro policial de sua raça.

Jakoby, por ser um orc, é odiado por todos, pois ao se tornar um policial se torna também um traidor da sua espécie. E para completar o seu parceiro é Ward (Will) que não gosta nada da ideia de tê-lo como parceiro.

Mas como faltam uns poucos anos para se aposentar aceita, mas tenta, a todo custo, tirar Jakoby do caminho. Portanto, Ward e Jacoby não se dão bem e vivem brigando a todo momento.

A trama trata sobre vários assuntos: racismo, corrupção policial, desigualdade social, magia e, como sempre, o fim do mundo não pode faltar não é mesmo?

Gostei do longa repleto de ação e cenas de tiros e a luta pelo bem é sempre bem vinda. Uma boa trama com alguns clichês. Sabemos bem como será o desfecho da historia sem ir até o final. Com boas atuações de Will Smith e Joel Edgerton, irreconhecível de baixo de toda maquiagem.

Trailer:

Não dá para falar muito sobre o enredo do filme, então assistam e compartilhem se gostaram da historia. Bright foi uma produção de alto valor para os cofres da Netflix, que capricha e ganha mercado. Estou gostando dos seus filmes, pois são interessantes e são uma boa opção para quem quer curtir um cineminha em casa.

Assistam Bright e aguardem que no ano de 2020 teremos uma continuação deste longa. Tão logo saia o trailer iremos divulgar aqui no Portal.

Bitokas

Glaucia

Casada e mãe, Auxiliar administrativo, viciada em filmes de aventura, ação e principalmente de terror. Ama um bom Rock e é fascinada por Games. Colaboradora Oficial de janeiro/12 à dezembro/15. Colunista Ocasional desde janeiro/16. No twitter @glaucilenehorus

Facebook Twitter

Um comentário para “Review de Bright.”

Mari

Glau, meu marido estava doido para ver esse filme. Assistimos. E toda a família odiou kkkkk. Chato demais. Esperava outra coisa com tamanha a publicidade que fizeram. Beijocas

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales