Entretenimento
e Incentivo à Literatura Fantástica

Amor (Amour).

Essa sinopse, meu comentário e o trailer do filme Amor (Amour), são dedicados especialmente a nossa leitora Bianca B. Carmo (Sugestão Premiada) e para todos que amam essa super produção, foi nele o primeiro filme de Jean-Louis Trintignant em sete anos.

amour_ver3

Sinopse:

“Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva) são um casal de aposentados, que costumava dar aulas de música. Eles têm uma filha musicista que vive com a família em um país estrangeiro. Certo dia, Anne sofre um derrame e fica com um lado do corpo paralisado. O casal de idosos passa por graves obstáculos, que colocarão o seu amor em teste.”

Comentário do Filme Amor (Amour):

O diretor Michael Haneke é conhecido não apenas por seu estilo direto das histórias, mas também pelo incômodo que causa às vezes no espectador. Desta forma, o anúncio de que faria um filme sobre o amor causou surpresa, pois um romance tradicional está bem longe do perfil do diretor.

Mas ao assistir o longa-metragem fica bem nítido o quanto o filme Amor, se enquadra dentro da filmografia de Haneke. Para quem esperava um relacionamento repleto de declarações apaixonadas ou saudosistas, no melhor estilo como era boa a vida de antigamente, deve passar longe desse longa-metragem.

Para Haneke, é na adversidade que se tem a grande prova de amor e é assim, fiel a este pensamento que o filme transcorre acompanhando a trajetória de vida do casal formado por Georges e Anne respectivamente vividos por Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva. Onde vivendo sozinhos em uma casa confortável, eles passam a enfrentar problemas quando ela sofre um derrame.

E na realidade é o início da via crúcis do casal ou da grande prova de amor entre eles, o diretor optou em acompanhar da forma mais realista a degeneração do corpo e mente de Anne (Riva) tornando assim Amor um filme bastante duro, já que ressalta ao público a dor alheia e a impossibilidade de melhora. Se por um lado pode parecer um tanto quanto cruel, este cenário é essencial para que Haneke possa expor sua teoria acerca do amor.

Por isso o ambiente é intimista que cerca o casal, já que não há necessidade real de nada além deles próprios e da casa em que vivem e a solidão auto-impostas faz parte dessa prova de amor. Este é um filme muito interessante, destaque para o belo trabalho do casal protagonista, Trintignant e Riva, que dosam na medida exata a responsabilidade um com o outro perante a dor e o desespero do agravamento da situação enfrentada.

Para mim é um filme muito difícil, meu conselho para quem ainda não o assistiu e que esteja preparado para vê-lo, pois tem cenas muito fortes. Admirei boa parte do filme, mas algumas cenas foram muito pesadas, marcantes e algumas vezes até um pouco revoltantes. Um filme que mexe demais com os nossos sentimentos, nos fazendo refletir muito sobre certas realidades da vida, filme sincero e em muitas cenas real, o que me faz admirá-lo ainda mais.

Abaixo o trailer desse filme emocionante, espero que tenham gostado e em especial espero que a nossa leitora Bianca B. Carmo continua a nos doar idéias e filmes tão bons quanto esse a participação de cada um de vocês é essencial, divirtam-se e aproveitem e ainda tem mais a colunista G. Siqueira também comentou este belo filme vale a apena conferir Aqui!!!

Então pessoal espero que tenham apreciado a leitura, que tal agora espalhar a novidade para os amigos? Para isso é só compartilhar, curtir, twittar, e clicar em +1. E se gostaram e só deixar seu comentário logo abaixo, será uma satisfação respondê-lo!!! Muito obrigado.

Kisses.

Publicado por em sexta-feira, 25 de outubro de 2013.

Deixe seu comentário
  • › É sua primeira vez? Seu comentário passará por moderação.
  • › Links e emails não são permitidos por motivo de segurança.

Veja outros artigos, além de "Amor (Amour).", sobre: , , , , ,

Curta o Portal ;-)

Facebook
Twitter
Google+
Portal JuLund Entretenimento e Incentivo à Literatura Fantástica.
(c) Copyright 2010-2014 Portal JuLund - Todos os direitos reservados. Fundado e mantido por Ju Lund by Jeferson Sigales