O Escaravelho do Diabo

por há 2 anos e 512 leituras

Inspirado no livro ‘O Escaravelho do Diabo’ da autora brasileira Lúcia Machado de Almeida

Filme

Dirigido por Carlo Milani, o filme nacional ‘O Escaravelho do Diabo’ teve o roteiro de Melanie Dimantas e Ronaldo Santos, inspirado no livro de mesmo nome e considerado um clássico da literatura infanto juvenil do Brasil. No entanto, se fosse feito fielmente para o cinema, a trama não seria um filme infanto juvenil, mas um thriller até bem assustador.

Por isso, seguindo a linha de telefilmes focados no público infanto juvenil, como vários vistos em alguns canais por assinatura com filiais no Brasil, ‘O Escaravelho do Diabo’ tem um roteiro mais puxado para o fantástico que para a história original de detetive.

Quem nunca leu o livro da autora, encontrará um roteiro de mistério tipicamente infanto juvenil, onde referências do livro ‘Silêncio dos Inocentes’ de Thomas Harris foram incluída.

Já quem conhece a história original, logo percebe que passou longe da obra da Lúcia Machado de Almeida, tendo apenas nomes de personagens e alguns acontecimentos inspirados no livro. Mesmo que alguns personagens tenham sido aproveitados e a base dos assassinatos de ruivos ainda seja o foco, ao ambientar a trama nos dias atuais (pois se trata de uma história da década de 1950 que foi publicada como uma série de contos na antiga revista ‘O Cruzeiro’, para só então ter sua primeira publicação como livro na década de 1970) muita coisa mudou.

A idade dos personagens foram alteradas, baixando-as para junto baixar a faixa etária do filme.

No filme, Alberto (Thiago Rosseti) é um pré adolescente com DDA, que após a morte do irmão mais velho, começa a perturbar o responsável pela investigação, Pimentel (Marcos Caruso), com suas teorias fantásticas sobre um assassino que mata só ruivos, após enviar um escaravelho para a futura vítima. De início ninguém da atenção a teoria do garoto, mas logo outras mortes ocorre na cidadezinha brasileira com maior número de ruivos por metro quadrado e Pimentel começa a acreditar que talvez a teoria de Alberto não seja tão fantástica quanto parece.

“Típica história de detetive à moda brasileira.”

Escaravelho-do-Diabo-FILME

Livro

‘O Escaravelho do Diabo’ da autora brasileira Lúcia Machado de Almeida foi escrito como uma história de detetive, estilo Sherlock Holmes, repleto de mistério e com uma visão do Brasil do século passado.

O livro narra acontecimentos em uma cidade ficcional, envolvendo Alberto, que é um jovem estudante de medicina, o qual decide investigar por conta própria a misteriosa morte de seu irmão, Hugo, que morre depois de receber um estranho pacote com um escaravelho.

Enquanto investiga, Alberto vê em uma revista, uma espada semelhante a que matou Hugo e começa a pesquisar sobre o assunto. Descobrindo o antiquário que vendia espadas iguais.

A investigação de Alberto o leva a cruzar o caminho do Inspetor Pimentel e do sub-inspetor Silva. Juntos percebem que as vítimas do assassino do escaravelho também são todas ruivas legítimas, ou seja, sardentas e de cabelos cor de fogo.

Durante a investigação, Alberto conhece e se apaixona por Verônica, uma bela moça órfã que vive na pensão de uma irlandesa chamada Cora O’Shea.

Seguindo a tendência mundial das histórias de detetive da época, o livro, mesmo sendo popular entre os estudantes brasileiros e na lista de leitura de várias escolas, atualmente pode ser visto como um verdadeiro thriller para todas as idades.

Escaravelho-do-Diabo-LIVRO

Dica de Livro(s), não adaptado(s) para o cinema, que seguem a linha de pensamento da história (nacionais ou estrangeiros publicados no Brasil):

‘Eles morrem, você mata!’ de Stella Carr
‘Morte no Colégio’ de Luis Eduardo Matta
‘Roubo no Paço Imperial’ de Luis Eduardo Matta
‘O Rubi do Planalto Central’ de Luis Eduardo Matta
Como não sei quem foi e quem não foi adaptado, indico as séries de livros com os personagens, entre outros que ambos escreveram:
‘Sherlock Holmes’ de Sir Arthur Conan Doyle
‘Hercule Poirot’ de Agatha Christie
‘Miss Jane Marple’ de Agatha Christie
‘Tommy e Tuppence’ de Agatha Christie

Anny Lucard

Tecnógola em cinema e produtora de rádio. Especializada em edição de som e imagem. Mente por trás da criação do Projeto Literatura Nas Ondas Do Rádio, de incentivo à leitura e de apoio a literatura em língua portuguesa. Escreve sobre cinema e literatura, tanto para a internet como para programas de rádios. Elabora roteiros nas horas vagas, Colunista Convidada desde agosto/ 12. No twitter pessoal @annylucard

Facebook
Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Copyright 2010-2018 • Portal Literário JuLund • Todos os direitos Reservados

Desenvolvido por Studio Sigales